O que fazer com o resíduos orgânicos? Eles também podem ser reciclados? Essas perguntas são frequentes em estabelecimentos que geram esse tipo de lixo.

Entretanto, uma resposta já esta sendo colocada em prática em um shopping de Curitiba (PR), o Palladium.

Através de uma iniciativa do Institudo Ambiental do Paraná e das empresas Roadimex e Abdalla Ambiental, o centro comercial começou a fazer a reciclagem do lixo orgânico produzido.

O processo parece até simples, mas é mais complexo do que podemos imaginar. Os resíduos orgânicos produzidos no interior do estabelecimento são despejados em um tanque metálico com capacidade de 7,5 mil litros.

A cada hora o misturador é acionado por cinco minutos para triturar e misturar os resíduos, para evitar a decantação no interior do tanque, assim como a fermentação do lixo, que gera mau cheiro.

Na sequência o conteúdo é transferido para um caminhão tanque, que segue diretamente para uma granja de engorda de suínos na cidade de Araucária (PR), na Região Metropolitana de Curitiba.

Chegando na granja, os resíduos são misturados e transportados até tanques aquecidos a 90ºC por 20 minutos para eliminar bactérias e outros micro-organismos que possam prejudicar os suínos. Por fim o resíduo passa por tubulações até chegar aos cochos de alimentação dos animais.

Marco Antonio Zanini, sócio-proprietário da granja da Abdalla Ambiental, para onde vão os rejeitos do Shopping Palladium, explica que o processo deve ser o mais limpo possível.

“O porco sempre comeu resto de comida, mas de uma maneira primitiva e sem higiene”, afirma.

Ele conta que os rejeitos garantem de 550 a 600 gramas de peso que os porcos ganham por dia. Se comparado com ração, ainda não consegue competir, mas ele já com ração, ainda não consegue competir, mas ele já tem energia e gordura, mas pouca proteína. Por isso não dá o mesmo resultado. Mas quando eu tirar a água e colocar soro e um pouco de farelo de soja, as coisas serão diferentes”.

[slideshow post_id="792" caption="on"]