Marcia Mikai utilizou madeira de demolição para a porta e lembranças de viagens para o revestimento do lavabo. (Foto: Gui Morelli)

Apesar de ainda um pouco caras e com certeza mais trabalhosas, as construções sustentáveis cada vez mais agradam quem arrisca e investe nessas ideias.

O administrador de empresas Rubem Höher Junior, por exemplo, destaca a economia que faz depois da construção da sua casa sustentável. Com utilização de várias técnicas, como cuidado com iluminação natural, energia gerada por placas de aquecimento solar ou a gás e vasos sanitários com ajuste de água, o administrador conseguiu diminuir gastos.

“Com materiais bem escolhidos existe uma facilidade para limpeza. Não precisamos, por exemplo, de aspirador de pó, que utilizaria muita energia”, comenta.

Já o empresário Henrique Ten construiu em sua casa um sistema de captação da chuva, que ele calcula ter diminuido o consumo de sua casa em 30%. Mas teve várias dificuldades para realizar a obra.

Márcia também instalou sistema de aquecimento solar. (Foto: Gui Morelli)

“Foi feita uma calha de concreto armado para captar toda a água do telhado. Foi uma obra difícil e que exigiu bastante pesquisa”, lembra o empresário.

Marcia Mikai, arquiteta e sócia da Pentagrama Projetos em Sustentabilidade, aproveitou uma mudança para construir uma casa com mais preocupações com o meio ambiente. Mas começou desde o estágio da demolição e conseguiu reutilizar vários resíduos para a nova construção.

“Os resíduos metálicos e plásticos foram destinados para reciclagem, os azulejos transformaram-se em matéria prima para mosaicos para o banheiro das crianças, lavanderia e banheiro da empregada. Parte do entulho foi utilizada para a construção do muro da fachada, pedras foram reaproveitadas para a fonte e tacos de madeira foram retirados para impermeabilização e reaproveitamento em outras áreas”, explica.