Muitas vezes para chegar à universidade os alunos têm um longo trajeto a percorrer. O gasto com transporte, o tempo perdido e a grande pegada de carbono deixada pelos meios de locomoção são alguns dos incovenientes.

Nesse caso a carona pode ser a solução ideal. Além de ajudar o meio ambiente você pode ter a chance de fazer novas amizades.

A engenheira, Andrea Brucci, 23, começou a utilizar a carona quando ainda era estudante. Ela estima ter pego mais de 300 caronas com 800 pessoas diferentes. Fez grandes amigos e conta que, para quem mora em São Paulo, é muito mais tranquilizador ver um carro na rua do que cinco.

Comentei que tinha preguiça de ir pra São Paulo todo fim de semana, pois levava aproximadamente três horas até minha casa. Um colega respondeu que algumas pessoas da turma tinham carro e viajavam todo final de semana para lá”, lembra.

Para garantir sua vaga em um dos carros que seguiam à capital, Andrea deixou a vergonha de lado.

“Foi na cara de pau mesmo. Liguei e falei ‘fulano disse que você volta de carro pra Campinas. Onde você encontra o pessoal, como funciona?’. Comecei com a carona por preguiça de viajar de ônibus mesmo”, confessa.

Mesmo depois de formada a engenheira continua sua rotina religiosamente. Às quartas-feiras já entra em contato com os caronistas para combinar a ida. Os viajantes seguem para São Paulo às sextas, quando combinam a viagem de volta, sempre aos domingos.

Geralmente os caronistas pegam seus passageiros na porta de casa e deixam em pontos próximos a ônibus e metrôs.