Vários aparelhos usados no dia-a-dia até poucos anos atrás já viraram peças de museu. É o caso do Museu do Computador , reinaugurado no dia 13 de maio em São Paulo, que aceita doações de computares para contar a história da evolução deles ao longo do tempo.

“Em 1998, percebi que se ninguém guardasse essas peças, iria tudo para o lixo. Tenho peças raras. Ninguém sabe o que aconteceu aqui no Brasil com os eletrônicos”, comenta o fundador e curador do museu, José Carlos Valle.

O Miti (Museu de Informática e Tecnologia da Informação), também em São Paulo, é outra opção. Além do museu, o projeto recicla o lixo eletrônico e faz a captação profissional para dar oportunidade de trabalho para pessoas de baixa renda.