Várias empresas e entidades já começam a se preocupar com um grande problema: o lixo eletrônico. O problema é que muita gente não tem ideia de que o material de que são feitos os aparelhos eletrônicos pode ser reutilizado.

Uma pequisa realizada pela Nokia em 13 países, e, 2008, mostrou que 74%  dos usuários de celular nem pensam em reciclar seus dispositivos e quase metade da população ignorava que seja possível fazer isso. E além da vantagem de minimizar a agressão ao meio ambiente, reciclar o lixo eletrônico traz também beneficios economicos.

A pesquisa também mostrou que, se todos os três bilhões de usuários no mundo devolvessem pelo menos um aparelho em desuso, seria possível economizar 240 mil toneladas de matéria prima e reduzir a emissão de gases equivalente a quatro milhões de carros.

No Brasil, várias empresas já estão começando a desenvolver projetos nessa área, mas ainda precisam exportar os componentes para separação.

“Aqui no Brasil isso ainda é um problema porque as placas dos computadores, que são mais lucrativas para reciclagem por causa dos metais preciosos, têm de ser exportadas para a Bélgica, México e Cingapura para serem recicladas”, diz Tereza Cristina Melo de Brito Carvalho, diretora do CCE (Centro de Computação e Eletrônica da Universidade de São Paulo), onde foi criado o Cedir (Centro de Descarte e Reuso de Resíduos de Informática).