O uso do algodão orgânico vem ganhando espaço no mercado da moda, uma vez que sua forma de cultivo faz parte de um sistema que fomenta a atividade biológica e que não utiliza agrotóxicos e pesticidas.

A cadeia de produção do algodão orgânico no Brasil ainda é pequena se comparado a países como Estados Unidos e Turquia. Segundo Sylvio Nápole, gerente de tecnologia da Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecções (Abit), a produção ainda é muito menor que a demanda.

“A produção de algodão tradicional no país é de 800 mil a um milhão de toneladas por ano, enquanto a oferta do orgânico não chega a 50 toneladas por ano”, acrescenta.

O crescimento de cerca de 30% na produção pode parecer promissor, mas a área plantada de algodão no país ainda é pequena se comparada a outros países.

Apesar da demanda restrita, algumas empresas já estão aderindo a este algodão. A YD Confecções lançou a marca Éden, em que as peças são confeccionadas a partir de materiais orgânicos.

A Levi’s também já havia lançado uma coleção ecologicamente correta. Os produtos eram fabricados com algodão orgânico, todos os adereços de plástico, como botão e zíper, eram feitos de material reciclado, e as embalagens eram todas de papel reciclado.