Quem mora em prédio sabe que as reuniões de condomínio normalmente são quentes e cheias de discussões sem fim. É uma tarefa ingrata do síndico fazer com que os presentes pensem de forma alinhada e em prol de todos os condôminos.

Mas também são nas reuniões de condomínio que saem decisões importantes. E é nesse momento que os assuntos relacionados à sustentabilidade precisam ser apresentados.

Para Geraldo Bernardes, diretor de sustentabilidade condominial do Secovi-SP, o ideal é que seja criada uma comissão específica para tratar o assunto.

“Essa comissão vai pegar as contas de água e luz e ver o que pode ser feito para ser mais sustentável. Ela precisa se reunir em certos períodos de tempo e analisar os resultados obtidos”, explica.

A principal questão que a comissão vai apresentar aos moradores é a redução da taxa de condomínio, já que um prédio sustentável tende a ser mais barato. Para isso, a comissão deve ter alguns objetivos claros.

“Primeiro a comissão precisa reduzir desperdícios e encontrar algum modo de ser mais eficiente. Na sequência é necessário acompanhar o processo, medindo a eficiência. Por último, monitorar todo esse sistema para ter um programa de correções”, sugere.

Bernardes, entretanto, chama a atenção para o fato de que é preciso que os moradores estejam cientes do que está sendo feito.

“Uma boa ideia é criar uma política de comunicação, passando os resultados para todos no condomínio, para as pessoas aceitarem. A partir do momento que ficam a par do que está acontecendo, começam a participar e mostrar resultado”, finaliza.