O chiclete é um lixo orgânico que demora cerca de cinco anos para se decompor. Ele pode ser feito tanto do látex de uma árvore chamada chicle ou a partir de uma borracha sintética.

Em vários lugares já surgem iniciativas e projetos que pretendem dar um fim mais sustentável ao chiclete.

O lixinho foi posicionado em vários lugares e a reciclagem dos chicletes recolhidos deve originar novos cestos (Foto: Divulgação)

Um deles começou em Londres. Cerca de 30 mil chicletes são descartados diariamente na Rua Oxford. Preocupada com a poluição e incômodo causados por esses chicletes, principalmente aqueles que ficam grudados nas calçadas, a design Anna Bullus criou o GumDrop.

O lixinho serve apenas para descartas as chicletes, que serão reciclados e usados na criação de outros lixinhos, que serão distribuidos em novos lugares.

Outra empresa inglesa, a Gummy Bins, também tem sua proposta para o descarte das gomas de mascar. Só que aqui, os lixinhos têm a forma de ursinhos ou podem conter propagandas ou logos de empresas, como o cliente preferir.

Essa versão é disponível em várias cores (Foto: Divulgação)

Separar o chiclete dos outros tipos de lixo é importante para permitir que ele seja reciclado. Sendo descartado em um lixo normal, ele normalmente gruda em outros resíduos, o que impede que seja utilizado para reciclagem.

Uma outra alternativa é a proposta pelo estudante de design industrial Charlie Nghiem. Seu projeto é de um chiclete com uma pequena semente e nutrientes necessários para o crescimento de uma planta, o Seed.

Chicletes devem ser jogados no solo depois de mascados para originar plantas (Foto: Divulgação

Assim, depois de mascar o chiclete, ele deve ser jogado em alguma área com terra. Em breve, nascerá uma muda. O material que não for utilizado nesse processo é biodegradável, podendo permanecer na terra sem nenhum dano à natureza.