Alfredo Borret, carioca de 28 anos, sempre teve uma preocupação ambiental mas demorou até desenvolver as Ecotampas. Antes delas, chegou a tentar reciclar outros materiais, como garrafas PET ou outras embalagens descartáveis, mas até então não tinha conseguido produzir nada que considerasse original.

Foi apenas em 2008 que inventou as Ecotampas, os imãs feitos com tampas de garrafas de cerveja. Dentro de cada um, Alfredo cola uma pequena foto dos pontos turísticos do Rio de Janeiro, onde são comercializados.

Alfredo e as Ecotampas: imãs estampam os pontos turísticos no Rio de Janeiro.

Uma tampinha de garrafa de cerveja levaria cerca de 100 anos para se decompor no meio ambiente. Além disso, normalmente não são descartadas corretamente nos lixos, mas jogadas nas ruas e calçadas.

A intenção de Alfredo é mostrar para os turistas e para os moradores da cidade como é possível reaproveitar o lixo e mesmo assim transmitir uma mensagem.

“Ou mudamos a forma como exploramos os recursos naturais, e passamos a viver a sustentabilidade e de forma responsáveis e comprometidos com o futuro do planeta ou presenciaremos o nosso fim, de forma brutal e emersos em nossos próprios resíduos”, comenta.

Além da reciclagem das tampas, Alfredo dá palestras voluntárias para crianças e jovens sobre reciclagem e a importância de preservar o meio ambiente.

Alfredo recolhe as tampinhas das ruas, mas alguns lugares, como bares e restaurantes, já separam e entregam diretamente para ele.

Para contatar Alfredo, mande um e-mail para ecotampas@gmail.com