Por Carolina Gabardo Belo

Antes de começar a ler esta matéria, responda as questões abaixo:

1. Em que você acredita?

2. Qual a sua causa?

3. O que você gosta de fazer? E como o que você gosta de fazer pode ajudar o pr´pximo?

4. O mundo precisa de quê? Comece a pensar pelo “seu mundo”: seu condomínio, seu bairro, sua cidade…*

*Questões utilizadas pelo Centro de Ação Voluntária de Curitiba na palestra informativa “O que é ser voluntário”

Já pensou que com as suas respostas você pode encontrar uma oportunidade de atuação voluntária? Não existe uma resposta para estas perguntas,
pois apenas você pode chegar a uma conclusão. Mas refletindo sobre estas questões fica mais fácil identificar como e em que área você pode começar a transformação por um mundo melhor e mais sustentável. Melhor para você e para toda a sociedade.

Em qualquer área de atuação o trabalho voluntário é uma iniciativa que traz benefícios coletivos. Além da ajuda a instituições que realizam ações sociais, ele é considerado como uma ferramenta de educação para a cidadania. A partir da participação, o voluntário percebe inúmeras outras possibilidades de atuação em sua vida, criando assim um ciclo de boas ações que interferem diretamente na sustentabilidade. “O trabalho voluntário significa sair de sua realidade e se colocar no papel do outro, na realidade alheia”, explica a analista de projetos do Centro de Ação Voluntária de Curitiba, Alcione Andrade. O objetivo desta imersão é buscar a solução para os problemas sociais e contribuir para que esta solução seja alcançada junto com a comunidade atendida. “Não é apenas atuar no problema, é diagnosticar a causa e conseguir inovações”, afirma. Para isso o voluntário pode usar suas próprias potencialidades. “É preciso ter prazer, além de querer fazer. É acreditar que está fazendo algo que vale a pena”.

O voluntariado, no entanto, vai além das responsabilidades cidadãs que todos nós temos. Separar o lixo, respeitar as leis de trânsito, dar preferência a idosos, pagar os impostos corretamente ou participar de audiências públicas, por exemplo, não significa atuar voluntariamente em uma causa. “As pessoas ainda não assimilaram isso: até onde é a minha responsabilidade e onde começa o trabalho voluntário”, afirma Alcione. Ela ressalta que “para que o mundo melhore é preciso que as pessoas assumam mais do que a vida particular de cada um.”

A ação voluntária dos cidadãos pode transformar o mundo. Além de potencializar a missão das organizações em que atua, o voluntário torna-se multiplicador das causas sociais para outros cidadãos e passa ainda a rever seu próprio comportamento. Muitas vezes, ao se aproximar de uma instituição social, o voluntário conhece uma realidade completamente diferente da sua. Para a diretora executiva do Instituto Faça Parte, Maria Lucia Meirelles Reis, o trabalho voluntário também exerce uma função muito importante para a formação dos jovens. O instituto promove o voluntariado educativo entre eles, em parceria com as secretarias de educação. “Os jovens passam a se sentir agentes de transformação social e levam este aprendizado para sua vida adulta. Esta prática está formando uma geração de brasileiros responsáveis e comprometidos em melhorar a sociedade e o mundo”, afirma.

Depois de 20 anos à frente de projetos de criação de cooperativas agrícolas em todo o estado do Paraná, o engenheiro agrônomo aposentado Silvio Galdino Carvalho Lima passou a se dedicar ao trabalho voluntário. Ele direcionou todos os seus conhecimentos para a formação de cooperativas em comunidades de baixa renda da Região Metropolitana de Curitiba. “Tenho gosto pela coisa e há 12 anos, depois de aposentado, comecei o trabalho voluntário”. Desde então, Lima teve contato com grupos interessados em montar uma cooperativa em diversas áreas, como a coleta de materiais recicláveis, panificação e costura. Aos 82 anos de idade ele segue firme com o trabalho voluntário. “Temos sempre que acompanhar, caminhar junto, sentir os problemas deles. É um trabalho difícil, demorado”, conta. Ele ressalta ainda que quando comparada a uma empresa, a cooperativa “é especial, ela pertence a todos que participam dela. São donos, não são empregados”.

Mesmo com o acompanhamento, muitos grupos não conseguem seguir com o projeto adiante, mas para ele isto não é razão para desistir da iniciativa. “Eles estão aprendendo, a pessoa já sai diferente, não é a mesma. É um ganho que vale a pena. É uma satisfação muito grande ver o interesse, a alegria e a vontade de progredir”, garante.

A distância não é problema!
Morando em São Paulo, Daniela Silva, 28, realiza trabalho voluntário para a ONG Voluntários em Ação – que tem sede em Florianópolis – sem sair de casa. Tudo isso utilizando apenas a internet. Esta foi a maneira que ela encontrou para utilizar seus conhecimentos em prol do bem coletivo. “Eu buscava trabalhos cujo intento fosse contribuir de maneira efetiva para a sociedade. O que mais me chamou a atenção para esta prática foi a forma de como os trabalhos poderiam ser realizados: sem sair de casa, ou seja, a qualquer hora e em qualquer lugar. Bastam 10, 15, 20 minutos do seu tempo”, conta.

Pedagoga, ela atua como pesquisadora e criadora de conteúdos para a organização sobre temas como protagonismo jovem, voluntariado, saúde e meio ambiente, além da criação de projetos para editais de seleção. “Acredito que o primeiro passo para a contribuição está no acesso à informação e na disseminação do conhecimento e troca de saberes. As pesquisas e conteúdos que faço servem de respaldo a dezenas de organizações e profissionais que necessitam de novas ideias e soluções para implementarem seus projetos e inovarem sua prática diária.”

Assim como Daniela, cerca de 22 mil voluntários estão cadastrados no site da organização Voluntários Online, que mobiliza pessoas interessadas em participar das instituições pela internet. Diferente do que pode parecer na primeira impressão, o trabalho realizado pela rede também pode contribuir para a realidade das organizações sociais e, consequentemente, para toda a sociedade. “O voluntariado online é uma experiência muito rica. Muitas vagas são perfeitas para este tipo de trabalho, são vagas mais gerenciais e não operacionais, que as instituições muitas vezes têm dificuldade de encontrar”, explica Vanessa Aguiar de Jesus, coordenadora de comunicação da organização.

A atuação online funciona perfeitamente e contribui para a profissionalização do Terceiro Setor, que passa da atuação assistencialista para um trabalho mais estruturado. “Muitas organizações ainda não estão amadurecidas e precisam de um profissional para ajudar que isso aconteça, para que a ONG cresça e se torne sustentável”. Desta forma, jornalistas, advogados, professores e diversos outros profissionais podem fazer a diferença com a produção de textos, pesquisas de conteúdos, programação de sites, consultorias jurídicas e muito mais. Tudo isso em apenas um clique.

Dicas para realizar um bom trabalho voluntário
Não é preciso um perfil específico para realizar trabalho voluntário. Basta vontade de ajudar, dizem os profissionais da área. Mesmo assim, algumas dicas podem tornar seu trabalho voluntário ainda mais eficaz para você, para a organização em que pretende atuar e para a toda a sociedade:

- Antes de começar a busca por alguma instituição social, entre em contato com o centro de ação voluntária de sua cidade. Muitos realizam palestras sobre o trabalho voluntário e o relacionamento com as instituições.

- Procure alguma instituição que atue na causa com que você se identifica, onde realmente acredite que seu trabalho irá fazer a diferença.
Conheça a instituição antes de se tornar voluntário. Às vezes você pode não se identificar com o ambiente.

- Comece com ações pontuais, assim você vai conhecendo suas capacidades e já percebe que qualquer ação traz bons resultados.
Não deixe de assinar o Termo de Voluntariado, que determina quais serão os trabalhos que você irá realizar e em que horários.

- Cumpra com seus compromissos. Se você combinou que irá em determinado dia e horário, funcionários e pessoas atendidas pela instituição estarão esperando por você, pois precisam do seu trabalho.

- Ao desenvolver projetos durante o trabalho voluntário não centralize o funcionamento da ação apenas em você. O objetivo é que a comunidade se torne independente e sua função é ajudá-la a encontrar o caminho.

- Se você não tem tempo de se deslocar até alguma organização social, opte pelo voluntariado online. Desta forma você utiliza seus conhecimentos para melhorar a atuação das instituições.

- Não esqueça de sua própria vida. O voluntário precisa estar bem para fazer o bem.

Fonte: Centro de Ação Voluntária de Curitiba