As tintas de parede convencionais costumam ser a parte mais poluente jna construção ou na reforma de uma casa. Várias contém toxinas, como metais pesados e COVs (compostos orgânicos voláteis), que são cancerígenos. Além disso, as tintas podem emitir vapores nocivos por pelo menos seis meses.

As alternativas mais sustentáveis já estão disponíveis no mercado. Confira:

Tinta de caseína: é a mistura da caseína – uma proteína do leite – com pigmentos. O acabamento é uniforme e é utilizada para paredes internas e móveis. A mistura pode inclusive ser feita em casa.

Tintas de cal: feitas com cal e pigmentos naturais, dão uma aparência leve e antiga nas paredes internas e externas.

Tintas naturais ou orgânicas: são feitas com extratos vegetais e minerais misturados com óleos e resinas naturais. Podem ser feitas em casa com frutas ou verduras. Uma dos fabricantes do produto no Brasil é a empresa Ecocasas.

Tintas livres de COVs: quase idênticas às tintas comuns, ainda são mais caras que as tintas convencionais. Esses produtos podem ser encontrados na empresa Sherwin-Williams.

Tinta de terra: as tintas que utilizam terra na composição deixam a parede respirar, garantindo um controle da umidade relativa no ar. Não desbotam e podem ser utilizadas em paredes internas e externas. No Brasil, é fabricada pela Tintas Solum.

Tintas minerais: feitas de materias minerais, não contém substâncias tóxicas. Ela deve ser diluída em água antes do uso. Pode ser encontrada na Idhea.

A Sumpra Tintas fabrica a linha Supraeco, com várias tintas e acamentos com baixa quantidade de COVs. Além disso, outros produtos sustentáveis podem ser encontrados na Biofa.

As tintas naturais devem ser usadas logo, pois não têm conservantes e tem uma data de validade menor. Elas também precisam de mais tempo para secar, pois não contém na composição produtos químicos para secagem. As sobras podem ser descartadas junto com o lixo orgânico.

As tintas à base de solventes devem ser encaminhadas para serviços especiais de coleta de produtos químicos. Consulte as autoridades da sua região para saber como proceder.