Thiago Cóstackz, 26 anos, é um artista plástico que se preocupa com a sustentabilidade. Com a exposição “Tsunami vs Terremoto” em São Paulo, Thiago mostra que a arte pode ser feita a partir de matéria prima sustentável e ainda tratar de temas como meio ambiente e direitos humanos. Seu trabalho já foi exposto internacionalmente, em cidades como Paris, Nova Iorque ou Praga.

Tsunami man! O acelerador de partículas

Quadro "Tsunami man! O acelerador de partículas!", em que Thiago trabalha com sua própria imagem. (Foto: Divulgação)

Em entrevista, Thiago cometa sobre a arte, sustentabilidade e como aliar as duas coisas pode tornar o tema mais próximo da sociedade.

Atitude Sustentável: Como surgiu o interesse de usar matérias sustentáveis nas obras?

Thiago Cóstackz: Surgiu da necessidade ter obter e realizar um trabalho que luta por conscientização também de forma ecológica. E também pelo fato de que como ser humano, eu não consigo me imaginar um esgotar de recursos naturais ou um provedor de holocaustos com o planeta em que vivo. Eu acho que quando a moda, o design (do automobilístico ao fashion), a arquitetura e a construção civil induzirem como modelo, padrões sustentáveis, já teremos avançado significativamente nestas questões. Na verdade acho que todos aqueles que fazem “pensar” ou que “induzem consumo” devem ser um aliado do planeta e sempre defender um consumo verde. Assim acontecerão as mudanças.

AS: Você encontrou alguma dificuldade para encontrar os materiais?

TC: Nenhuma! Está mais fácil do que a maioria pensa. O Brás em São Paulo e a 25 podem ser milagrosas neste sentido. Sem falar que entre uma viagem ou outra a Londres você pode descobrir coisas e refazê-las aqui. Com a internet todos podem descobrir também estes eco-materiais.

Quadro de Thiago Costackz. São Paulo é um grande parque de diversões com seis milhões de carros!

Quadro: "São Paulo é um grande parque de diversões com seis milhões de carros!" (Foto: Divulgação)

AS: Como você percebe que o público vê suas obras?

TC: Nossa como responder a isso sem parecer demagogo ou falso? Bom eu tenho 10 anos de carreira, 3 que estou em São Paulo e ativamente na arte. Acho que para ter a legião de seguidores que tenho, patrocinadores internacionais e todo apoio de vocês da mídia é um sinal de que as pessoas estão abertas ao meu discurso muitas vezes chamado de “eco-chato” ou “utópico”. Na minha última mostra recebi em São Paulo e Curitiba mais de 100 mil pessoas em apenas 40 dias. As pessoas fotografam tudo as dezenas, algumas compram obras, levam postais, livros com meu trabalho etc… O que mais um artista pode querer? Para mim, estar na rua democratizando arte através dos valores que eu julgo vitais a qualquer desenvolvimento humano é motivo de enorme alegria.

AS: O que espera com seu trabalho?

TC: Mudar o planeta! Para não ter que ser abduzido e ir embora daqui.

Serviço:

“Tsunami vs Terremoto”: Até 25 de novembro, diariamente, das 10h às 22h, no Shopping Center 3 (Avenida Paulista, 2.064, São Paulo). Entrada Gratuita.