Uma das maneiras de praticar a sustentabilidade é a reutilização dos produtos. É o que a TerraCycle faz: renova embalagens e dá a elas uma nova utilidade. E, para substituir o uso de materiais virgens, a empresa compra embalagens usadas direto do consumidor e evita que elas sejam encaminhadas para aterros.

Para isso, a TerraCycle faz parcerias com empresas e compra dos consumidores essas embalagens por R$ 0,02. É o caso da Nestlé: as embalagens da linha Chocolover são usadas para fazer estojos.

Os produtos utilizam as embalagens para substituir materiais virgens.

Os produtos utilizam as embalagens para substituir materiais virgens. (Foto: TerraCycle)

Os financiadores das coletas são chamados de brigadas. Atualmente, para o mercado brasileiro, as brigadas são dos produtos Chocolover, da Nestlé, Tang, Perdigão e PepsiCo. As embalagens podem estar em qualquer estado, mas o consumidor deve retirar o excesso de comida.

Até agora, já foram coletados 6.765.947 unidades de resíduo. Para fazer parte, acesse o site TerraCycle.

História da TerraCycle

Tudo começou em 2001, no EUA, com uma empresa simples de fertilizante orgânico feito a partir de lixo orgânico e minhocas. No entanto, sem um tostão no bolso, não podiam comprar as embalagens que precisavam para armazenar e vender seus adubos. Não desencorajados, eles começaram a utilizar garrafas plásticas de refrigerante usadas, coletadas nas lixeiras da vizinhança, para criar o primeiro produto do mundo feito e embalado inteiramente de lixo. O projeto foi idealizado pelo jovem universitário Tom Szaky.

Oito anos depois, a TerraCycle cresceu de uma operação caseira dirigida por dois rapazes para uma líder internacional no campo do “eco-capitalismo” e da transformação (“upcycling”). O conceito foi ampliado para reutilização de embalagens para fazer produtos sustentáveis e acessíveis.

Hoje, a empresa atua em vários países, como EUA, Canadá, Inglaterra, México e Brasil, em parceria com empresas como a Kraft Foods, PepsiCo e Nestlé.

?