O 3º Ciclo do Programa Brasileiro de Etiquetagem Veicular apresentou a nova tabela para o ano e 2011 e conta com a adesão de mais uma montadora. A Etiqueta Nacional de Conservação de Energia informa ao consumidor a eficiência energética dos veículos, sempre comparando veículos dentro de categorias, e é uma parceria entre o Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial (Inmetro) e o Programa Nacional de Racionalizaão do Uso dos Derivados do Petróleo e do Gás Natural (Concep).

Ao todo são 73 modelos, de seis montadoras: Fiat, Kia, Volkswagen, Renault, Toyota e Ford, que aderiu o programa para o ano que vem.

Na categora sub-compacto, o veículo que mostrou o melhor resultado foi o Fiat Uno, enquanto na categoria compacto o resultado foi do Siena (também da Fiat). Entre os carros médios, o mais sustentável é o Logan, da Renault, e entre os grandes os carros Fusion (Ford), Cerato (Kia), Fluence (Renoult) e Corolla (Toyota) apresentaram resultados semelhantes. Clique aqui para ver a lista completa com os resultados da pesquisa.

A pesquisa mostrou que houve uma melhora de 3% no nível geral de consumo de combustível dos modelos inscritos. A maior melhora foi entre os carros compactos, com 3,6%.

“O objetivo da etiqueta é oferecer ao consumidor mais um atributo, além do preço e da estética, para a sua decisão de compra. Com a declaração de consumo de combustível na etiqueta, o consumidor pode optar por adquirir modelos de veículos mais econômicos, escolher o combustível mais indicado para utilização na cidade ou na estrada e comparar modelos dentro da categoria de sua preferência”, ressalta Marcos Borges, coordenador do Programa Brasileiro de Etiquetagem do Inmetro.

Além disso, os carros mais eficientes gastam menos combustível (a gasolina, por exemplo, é um derivado do petróleo e não é renovável) e poluem menos.

O programa foi lançado em 2008. O Inmetro lembra sempre que fatores externos (como qualidade do combustível e a correta manutenção do carro) influenciam nos resultados.