A marca de roupas sustentáveis Irmãs Green veio para mostrar que a moda pode, assim como a agricultura, ser feita em família. Partindo da iniciativa de duas irmãs, todas as roupas são feitas com material sustentável e o menor número de resíduos de produção possível. Para isso, qualquer sobre de tecido vira bordado.

Roupas sustentáveis das Irmãs Green.

A inspiração das irmãs para as peças pode vir de várias coisas, desde a natureza até os retalhos que utilizam. (Foto: Eduardo Britto)

Para Helen Oviar, estilista e uma das fundadoras da marca, o público desse tipo de produto costuma ser exigente, principalmente com valores éticos e sustentáveis. Mesmo assim, a marca já alcançou também outro tipo de público, que se preocupa mais com a moda.

“Em apenas dois meses de lançamento da marca, estamos tendo experiências incríveis, o público está adorando as peças e estamos vendendo para pessoas que até então desconheciam um tecido ecológico, o fato de estar ligado a sustentabilidade disperta interesse, sentimos que o público em geral tem vontade de aprender mais sobre sustentabilidade, o que é muito gratificante para nós”, comenta Helen.

As maiores dificuldades para a produção das peças é conseguir uma variedade grande dos matérias, em diferentes cores, por exemplo, mas numa quantidade não muito grande. Outro obstáculo é o algodão orgânico nacional, mais raro e mais caro que os importados do EUA ou da Turquia.

Roupas sustentáveis Irmãs Green.

Maior dificuldade para produção das peças é encontrar variedade de materiais sustentáveis. (Foto: Eduardo Britto)

“O mercado está em crescimento, mas temos um longo caminho ainda para percorrer, pois trabalhamos com inovação, estamos fazendo uma moda sustentável com o que temos hoje no mercado, por isso fundamentalmente se faz necessário investir mais em pesquisas de matérias primas alternativas e renováveis, empreender mais neste setor para produzirmos as peças com o menor impacto ambiental possível. Em geral, precisamos também divulgar cada vez mais ações sustentáveis, através de informações é que teremos cada vez mais consumidores mais conscientes, que questionarão a origem dos produtos e o seu ciclo de vida”, explica Helen.

Apesar de ambas já trabalharem com moda, foi apenas agora que consiguiram abrir um negócio juntas. E desde o planejamento pensaram na sustentabilidade.

“Ficamos estruturando como seria a nossa marca desde o início do ano passado, paralelamente aos nossos trabalhos, queríamos fazer algo voltado à sustentabilidade, uma moda mais ética e consciente que respeitasse o planeta e as gerações futuras, não poderia ser de outra maneira, pois hoje em dia moda sustentável não é modismo, é obrigação e dever para com todos”, finaliza Helen.

Para mais informações e ver os pontos de venda, acesse o site das Irmãs Green.