Assim como vários hábitos, a alimentação também tem influência direta na sustentabilidade. Por isso, saber como o alimento foi cultivado e produzido e o impacto ambiental do processo pode ser importante para quem tenta ter uma vida mais sustentável.

Com o crescimento da população mundial, a produção de alimentos precisou ser aumentada, os vegetais precisam ser amadurecidos mais rapidamente e animais precisavam atingir peso para abate logo, aumentando cada vez mais o uso de agrotóxicos e outros químicos. Além disso, a urbanização deixou os locais de produção de alimentos e os consumidores cada vez mais afastados.

Para Flávia Morais, do departamento de nutrição da rede Mundo Verde, os maiores desafios para conseguir que a população consuma mais alimentos sustentáveis é o custo. “Os alimentos orgânicos ainda custam mais do que os cultivados de maneira convencional porque sua produção é menor e são mais difíceis de conservar e não são encontrados em qualquer lugar”, comenta.

Por isso, alguns cuidados na hora de escolher o que comer já podem fazer diferença. Veja as dicas dos nutriocionistas do site Mundo Verde:

1. Diminua o consumo de carne – a criação de bovinos é um dos maiores responsáveis pelo efeito estufa, principalmente pela grande liberação de metano nos gases dos animais. Além disso, a produção de carne vermelha demanda uma quantidade enorme de água. Para produzir 1kg de carne vermelha são necessários 200 litros de água potável.

2. Prefira os alimentos da safra e produzidos em sua região - além de economizar combustível com o transporte, você incentiva o crescimento da sua comunidade, bairro ou cidade.

3. Priorize os alimentos frescos aos industrializados ou congelados – os alimentos industrializados ou comida congelada, além de mais caros, consomem mais energia para serem produzidas. Além de gerarem mais lixo pois são embalados.

4. Se for inevitável o uso de alimentos embalados prefira as embalagens de vidro - as embalagens de vidro podem ser reutilizadas para acondicionar alimentos preparados em casa, além do que alimentos embalados em plástico estão contaminados por Bisfenol A, uma substancia relacionada ao surgimento de doenças como o câncer.

5. Na hora de suas compras use sacolas retornáveis – devemos pensar não só na forma como os alimentos são produzidos, mas também devemos ser responsáveis na hora de adquiri-los. O uso de eco bags diminui o impacto ambiental pois diminui o uso de plástico, a extração de recursos e a geração de lixo.

6. Escolha os alimentos orgânicos - aqueles que são cultivados sem o uso de agrotóxicos, fertilizantes ou pesticidas, em harmonia com o meio ambiente e valorizando o homem do campo.

7. Elabore o cardápio da semana e adquira os produtos frescos de acordo com o planejamento - desta forma diminuímos o desperdício dos alimentos. As frutas e verduras estragam mais facilmente, então sabendo o que será usado no cardápio e comprado a quantidade correta estamos evitando o desperdício.

8. Seja criativo na elaboração das receitas, aproveite os alimentos integralmente - use as folhas e talos dos vegetais em sopas e suflês, as sementes de abóbora podem ser torradas e usadas como aperitivo, as sementes de melão e melancia batidas no suco…

9. Não peça comida para viagem - prepare a comida em casa ou vá até o restaurante fazer sua refeição, assim economiza as embalagens de plástico e isopor utilizadas.

Para mais informações, acesse o site Mundo Verde. A rede oferece gratuitamente um serviço de orientação nutricional, o Alê Nutricionista.