O setor de construção civil é um dos que tem maior impacto ambiental. Por isso, a sustentabilidade está cada vez mais presente, alterando o modo com que as obras e construções são feitas.

Por isso, Glaucio Gonçales, arquiteto e fundador no EB-A (Espaço Brasileiro de Arquitetura), transformou uma sala com 80 metros quadrados distribuídos em três ambientes em um lugar aconchegante usando vários produtos sustentáveis.

Decoração sustentável

Sala tem 80 metros quadrados. A proposta do arquiteto é fazer um local aconchegante e sustentável. Os sofás, por exemplo, são feitos com fibras naturais. (Foto: Divulação)

Um dos principais destaques da sala é a lareira, utilizando a Ecofire Place, que funciona com um biofluído que não produz fumaça nem cheiro e com uma emissão do CO2 menos que a respiração humana.

Além disso, a sala tem o revestimento ecowood da Portobello, uma linha que substitui a madeira natural, evitando o corte de árvores. Já o mobiliário é composto de produtos da Amazônia Móveis, feitos com fibras naturais, e do Empório dos Dormentes, que reaproveita madeira retirada de postos de luz.

Sala com decoração sustentável.

O piso também é sustentável, em porcelanato ecowood, evitando o uso de madeiras e desmatamento. (Foto: Divulgação)

Para Glauco, a maior dificuldade das construções sustentáveis ainda é o hábito das pessoas. “Acredito que ainda sejam as questões cultural e econômica as maiores dificuldades. Existe uma grande resistência de algumas pessoas em mudarem seus conceitos e de entender que o mundo está passando um momento delicado é que mudanças rápidas precisam ser feitas para que o pior não aconteça”, comenta.

Mas mesmo assim, é cada vez mais frequente que as empresas tenham consciência dessa mudança, dando mais opções para os clientes. “As empresas estão ficando cada vez mais conscientes de que esse assunto é uma questão de necessidade em virtude de tudo o que vem acontecendo com o mundo em relação ao meio ambiente e isso está despertando o interesse de muitos em fabricarem produtos que possam ser incorporados aos projetos”, finaliza.

Essas mudanças também podem ser feitas de maneira gradual, quando surge a necessidade de troca de determinado móvel. Mesmo quando os itens não são sustentáveis, o adequado é que sejam usados até o fim de sua vida útil ou reaproveitados para outros fins.