Processo de rerrefino é físico e químico, permitindo que o óleo seja usado novamente.

Com a preocupação do descarte do óleo lubrificante utilizado pelos carros nas corridas, a Stock Car e a Lwart Lubrificantes fazem parceria para o tratamento desse material. A empresa é responsável pela coleta e o rerrefino do material.

O processo é feito na sede da empresa em Lençóis Paulista, interior de São Paulo. O processo transforma o óleo lubrificante usado em óleo mineral básico, que é usado como matéria-prima para a produção de novos óleos lubrificantes. Este processo é a única destinação legal desse material. São coletados, por corrida, 360 litros de óleo lubrificante usado.

Entenda o processo de rerrefino

Thiago Trecenti, diretor geral da Lwart Lubrificantes.

“O rerrefino é um processo físico-químico composto pelas etapas: desidratação, destilação, flash, desasfaltamento, tratamento químico, neutralização/clarificação e filtração. Após o rerrefino realizado pela Lwart Lubrificantes, o óleo básico adquire características similares às do primeiro refino, permitindo uma nova aditivação e o reabastecimento do mercado nacional. Os subprodutos do processo são redirecionados e utilizados como matéria-prima em outros segmentos industriais. Todo efluente líquido é direcionado para caixas separadoras de água/óleo, nas quais o óleo separado é redirecionado para o processo de rerrefino. A água oriunda das caixas separadoras é, então, enviada para a ETE (Estação de Tratamento de Efluentes)”, explica Thiago Trecenti, diretor geral da Lwart Lubrificantes.

Para saber mais sobre o Grupo Lwart, acesse: www.lwart.com.br