Apesar das cidades serem mais poluentes que as áreas rurais, as inciativas sustentáveis devem ser praticadas em todos os lugares. Nesse processo, empresas começam a incentivar e mostrar para os moradores locais como melhorar suas atividades e fazer parte do processo de sustentabilidade do ambiente.

Um exemplo é a GRSA, empresa de soluções em alimentação e serviços de suporte, que aplica um programa de ensino de técnicas de cultivo para as comunidades próximas às fábricas para as quais a empresa oferece serviços de alimentação coletiva.

Uma das cidades onde o programa foi aplicado é Barro Alto (GO), localização da maior mina de minério de níquel da América Latina. Lá, a GRSA capacitou a comunidade com técnicas de agricultura, aplicando conceitos de produção sustentável para preservar o meio ambiente, como compostagem de resíduos orgânicos. O cultivo mensal na plantação já chegou a três toneladas.

Ailton Diesel, gerente de operações da empresa, diz que as comunidades recebem essa ação de maneira positiva. “O projeto estimula o espírito empreendedor da comunidade, tendo se tornado um referencial em desenvolvimento comunitário sustentável. Com o projeto conseguimos promover atividades ocupacionais e postos de trabalho. Estimulamos a diversidade cultural e fomentamos a educação ambiental, além de gerar renda, promover a saúde e melhorar os hábitos alimentares na região. As pessoas aprendem uma nova profissão, o que é muito importante para o desenvolvimento da região”, explica.

Para alcançar os agricultores, o programa visita as propriedades rurais. (Foto: Divulgação)

Outra iniciativa é o Aplique Bem, feita em parceria entre a Arysta LifeScience e o Instituto Agronômico de Campinas (IAC), que oferece treinamento para a correta aplicação de defensores agrícolas, melhorando a saúde dos agricultores e a qualidade dos produtos e diminuindo os custos de produção.

O treinamento oferecido incluí informações sobre o uso adequado dos produtos, a utilização correta de equipamentos de produção e como deve ser feita a regulamentação dos produtos, evitando irregularidades no processo.

Para Liria Sayuri Hosoe, Gerente de Registro da Arysta LifeScience, o maior desafio desse tipo de programa é fazer a informação chegar nos agricultores. “ As informações passadas de geração a geração, que nem sempre incorrem nas práticas mais corretas, muitas vezes são as que o homem do campo usa para a realização do seu trabalho. A proposta do Programa Aplique Bem é justamente de levar para o campo o melhor conhecimento que temos na área de tecnologia de aplicação”. Por isso, as ações acontecem nas propriedades rurais.

Ainda segundo Liria, quando aplicados de maneira consciente, esses produtos não apresentam nenhum risco para o meio ambiente.