O documentário “2012 – Tempo de Mudança” estreia em São Paulo e Rio de Janeiro em 16 de junho. Feito por João Amorin, sócio fundador da PostModern Times, uma companhia de mídia especializada em filmes sócio-ambientais.

Com 84 minutos de duração, o filme abora os três pilares da sustentabilidade: sociedade meio ambiente e economia e propõe mudanças nas relações entre homem e natureza através da junção de conhecimentos antigos de culturas extintas, como os Maias, e a ciência atual.

Cartaz do filme. (Imagem: Divulgação)

Além de falar sobre sustentabilidade, a equipe do filme cuidou para que o impacto fosse diminuído ao máximo. “Usamos pilhas e baterias recarregáveis, minimizamos viagens, e pessoalmente plantei mais de 10 mil árvores na Chapada dos veadeiros para fazer um ofsete de carbono real”, explica João Amorin, diretor do filme.

Para constituir o filme, o diretor optou por misturar estilos, como animações e entrevistas com pessoas famosas, como Sting, Gilberto Gil, David Lynch e Ellen Page. Além disso, o filme é narrado, modelo inspirado nos filmes de Michael Moore.

Quanto ao conteúdo, o diretor explica: “Em termos de conteúdo resolvemos ter uma pegada positiva. Nossa cultura esta saturada de negatividade, mesmo os filmes sobre sustentabilidade costumam focar só nos problemas, isso deixa as pessoas paralisadas, achando que não da pra fazer nada mesmo. Precisamos mostrar que as soluções já estão aqui, só precisamos conectar os pontos para assim co-criarmos uma sociedade em maior equilíbrio com a natureza”.

Para o diretor, a melhor maneira de incentivar a sustentabilidade nas pessoas é mostrar que esse novo modelo pode ser bom para elas. “Mostrar que ser ecológico não significa deixar coisas bacanas de lado, justamente o contrário. Temos que mostrar como o processo e divertido e viável”, finaliza João.

Para mais informações sobre o filme, visite o site oficial: www.2012tempodemudanca.com.br