O INPE (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais) divulgou que as áreas de desmatamento da Amazônia estão sendo preocupantemente progressivas. Em maio, 268 km² de floresta sofreram corte raso ou sofreram degradação, sendo o estado do Mato Grosso o mais afetado (93,7 km²).

Os dados foram coletados a partir de uma ferramenta de fiscalização da Amazônia, o DETER ( Detecção do Desmatamento em Tempo Real). Desde 2004, o sistema controla os dados sobre o desmatamento diariamente, que são enviados para o Ibama.

O número corresponde a mais que o dobro detectado em maio de 2010, quando o sistema registrou 109,6 km². Ele registra tanto áreas de corte raso – completa retirada da floresta nativa – quanto áreas classificadas como degradação progressiva – revelam o processo de desmatamento na região.

Veja mais relatórios do DETER aqui.