Entre os meses de maio e junho, a Secretaria do Meio Ambiente de Balneário Camboriú (Santa Catarina), por meio do Departamento de Fiscalização Ambiental (DEFA), realizou uma pesquisa no estabelecimentos da cidade catarinense para verificar o cumprimento da Lei Municipal n°2761/2007.

A lei  está em vigor desde 2007 e proíbe o uso de sacolas plásticas ao incentivar a substituição por sacolas retornáveis, de papel ou material biodegradável. A conclusão foi que cerca de 55% dos estabelecimento ainda empregam as sacolas plásticas comuns, de um total de 961 estabelecimentos vistoriados.

Mais da metade opta somente pela utilização de sacolas plásticas de tipo comum, mais poluente. Os que optam por utilizar somente sacolas de materiais ecologicamente corretos (papel, plástico de tipo biodegradável, oxibiodegradável e tecido) somam 34,66%.

Rogério Kunzle, coordenador de Projetos Especiais da Secretaria de Meio Ambiente do Município, diz que muitos comerciantes ainda não sabiam da lei, apesar da divulgação e campanhas na mídia. “Os comerciantes foram avisados e, dessa vez, não foi cobrada a multa no valor de 10 UFM (Unidade Fiscal do Município). Futuramente esses locais serão novamente visitados e, se for o caso, multados”, explica Rogério.

Alguns dados da pesquisa demonstram que certos setores se adequam a tipos de materiais específicos. Os estabelecimentos relacionados a vestuário e calçados utilizam, em sua maioria, sacolas de papel. Já os farmacêuticos são os líderes nas sacolas plásticas biodegradáveis e grandes empresas ou franquias possuem a tendência de adotar as ambientalmente corretas. Observou-se que a maioria dos comerciantes reconhece e se preocupa com os impactos ambientais das sacolas comuns, mas desconheciam a Lei Municipal n° 2761/2007.

mais da metade (521 ou 54,21%) opta somente pela utilização de sacolas plásticas de tipo comum, mais poluente. Os que optam por utilizar somente sacolas de materiais ecologicamente corretos (papel, plástico de tipo biodegradável, oxibiodegradável e tecido) somam 34,66%, ou 333 estabelecimentos comerciais.