Esse sistema hidráulico minimiza os efeitos causados pelo óleo, principalmente em relação à contaminação da água. (Foto: Divulgação)

O descarte incorreto de óleo  de cozinha nas residências é um grande problema que agrava a poluição do solo e das águas. Um litro de óleo despejado pela tubulação convencional é suficiente para poluir cerca de 100m³ de água, encarecendo seu tratamento em 45%.

A empresa Eluma desenvolveu um sistema de descarte de óleo especialmente para prédios residenciais. Despejado por meio de uma tubulação de cobre em um reservatório apropriado, ele é armazenado e posteriormente descartado de forma adequada, evitando que chegue até a rede de esgoto.

O sistema já foi implantado em dois prédios, em Belo Horizonte (MG) e Santo André, no ABC paulista. A proposta é incentivar os empreendimento sustentáveis, diminuindo os custos de manutenção das instalações e do sistema público de esgoto. Há também a possibilidade de reverter renda para o condomínio com a venda do óleo usado, que poderá ser transformado em sabão, detergente ou sabonete por ONGs ou empresas especializadas que recolhem e pagam pelo material descartado.