A produção de biocombustíveis a partir de resíduos está sendo cada vez mais procurada, principalmente frente aos riscos das mudanças climáticas, aquecimento global e aumento do preço dos combustíveis fósseis. Cientistas e pesquisadores estão trabalhando em vários projetos para o desenvolvimento de combustível renovável a partir de qualquer coisa que vá para o esgoto.

A filosofia por trás da produção de biocombustível a partir de resíduos de alimentos é preservar a própria produção de alimentos. Nos estágios iniciais da produção de biocombustíveis, pesquisadores sofreram acusações de que estariam utilizando alimentos que poderiam ser consumidos. Assim, a idéia de produção de biocombustíveis a partir de resíduos de alimentos apresenta várias vantagens.

Estudos afirmam que mais de 60% das emissões de carbono podem ser reduzidas pela produção de biocombustível a partir desses resíduos, ao invés dos métodos tradicionais de produção de biocombustíveis. Veja algumas tendências na produção de biocombustíveis:

Óleo de cozinha pós-consumo

Uma equipe de pesquisadores da Iowa State University tem convertido com sucesso óleo de cozinha pós-consumo em biocombustível. O óleo foi coletado dos refeitórios da universidade e já está gerando energia para o funcionamento de um ônibus projetado para consumir combustíveis alternativos.

Restos de melancia

Alguns pesquisadores têm observado o potencial da melancia na produção de biocombustível. O suco produzido com os restos da planta é muito eficaz como biocombustível. Segundo os pesquisadores, o suco de melancia contém 10% de açúcar capaz de fermentação e 35% de aminoácido facilmente transformado em etanol.

Resíduos de chocolate

Pesquisadores desenvolveram biodiesel a partir de resíduos de chocolate em Preston, Reino Unido. O novo método contraria vários argumentos que dizem que a produção de biocombustíveis poderá resultar numa crise alimentar global.