O Green Project Awards (GPA), que já chegou na sua 4ª edição em Portugal, chega no Brasil para distinguir e reconhecer as melhores práticas em projetos que valorizam a sustentabilidade. Organizado pelo Instituto Nacional de Tecnologia (INT/MCTI) e pela GCI Portugal, com apoio do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação e do Ministério do Meio Ambiente, o prêmio chega ao país para mobilizar a população, empresas e entidades com iniciativas voltadas ao desenvolvimento sustentável e à promoção de práticas sustentáveis.

Os candidatos poderão realizar suas inscrições por meio da plataforma digital do GPA entre Janeiro de 2011 e Março de 2012. A cerimônia para entrega dos prêmios acontecerá no dia 19 de junho de 2012, no Rio de Janeiro, no âmbito da Conferência das Nações Unidas sobre o Desenvolvimento Sustentável – Rio+20, reforçando a luta contra a pobreza e exclusão social.

Lançado em 2008 em Portugal, o Green Project Awards já reconheceu 28 casos de sucesso, eleitos entre as mais de 500 candidaturas nos últimos anos. Voltado a um público variado que inclui jovens, Institutos de Ensino e Pesquisa, ONGs, Associações de classe, empresas e representantes da administração pública, o GPA Brasil irá premiar as categorias Iniciativa Jovem, Pesquisa e Desenvolvimento, Produto ou Serviço e Campanha de Mobilização. Poderão participar iniciativas e/ou projetos criados e desenvolvidos por jovens (até aos 24 anos);  produtos ou serviços já implementados nas áreas de desenvolvimento social, econômico, ético e ambiental; campanhas e ações de sensibilização e informação e projetos que já tenham sido objeto de dissertação ou publicação.

“Chegou a hora de recompensar a criatividade dos brasileiros na promoção de práticas sustentáveis”, afirma Domingos Naveiro, Diretor do Instituto Nacional de Tecnologia e co-organizador da premiação. “Fora do Brasil o GPA já é um meio para a sensibilização e conscientização da sociedade civil e uma vitrine para a inovação, criatividade e eficácia, promovendo a discussão produtiva de temas como o fim da pobreza, biodiversidade ou a inclusão social” explica José Manuel Costa, Presidente da GCI, co-organizadora do GPA.