O estado do Rio de Janeiro será o primeiro do país a pagar uma Bolsa Verde. O incentivo, no valor de R$300, será dado trimestralmente a famílias em situação de extrema pobreza que vivam em unidades de conservação e desenvolvam ações para preservá-las.

A iniciativa tem o objetivo de desenvolver um mercado de ativos ambientais para promover a economia sustentável. A Bolsa Verde, que entra em operação em abril de 2012, será o primeiro mercado de carbono brasileiro, em que as indústrias do Rio poderão negociar energia renovável ou biomassa, além da recuperação de áreas florestais e tratamentos de resíduos.

O acordo de cooperação foi assinado esta semana entre a Secretaria do Ambiente do Estado do Rio, a Secretaria de Fazenda do Município do Rio e a Bolsa Verde RIO (BVRio), uma associação sem fins lucrativos.