Texto: Débora Cavignato*

"Boneca feita com embalagem de iogurte e tampinha de garrafa. Não quebra e as crianças adoram!", diz Débora.

Você já ouviu falar em consumo sustentável na escola?

Pois é… fiz uma pesquisa com funcionários de uma escola de São Bernardo do Campo para ver o que eles sabiam a respeito do tema e a maioria não tinham conhecimento sobre o quanto cada atitude em relação ao consumo faz a diferença na escola.

Então fiz uma palestra para pais de alunos e funcionários sobre o consumo sustentável enfatizando a política dos 3 Rs (Reduzir, Reutilizar e Reciclar). A partir disso passei a fazer reuniões com a equipe de cozinha, limpeza e com a equipe docente para definir estratégias a fim de reduzir o consumo de materiais e reutilizar embalagens.

A escola já possuía tambores para a reciclagem, então dei a ideia de colocar um tambor para a destinação de óleo de cozinha usado, depois este é destinado para empresas que o utilizam.

Carteira feita pelos pais com caixas de leite.

Durante o ano pude perceber mudanças na atitudes dos funcionários, que passaram a reutilizar sobras de materiais como EVA, cartolina e retalhos para a confecção de atividades, reativaram a horta da escola, os próprios alunos plantavam, colhiam e comiam os alimentos durante as refeições (relembrando que são alunos de creche com menos de 3 anos), professores e alunos passaram a fazer fantoches com caixa de leite criando personagens de histórias e também começaram a arrecadar embalagens de shampoos, iogurte, teclados de computadores da vizinhança para fazer kits de salão de beleza, kit escritório e brincadeira de “comidinha”. Tudo isso enriquece a imaginação da criança fazendo imitar os adultos e criando situações de aprendizagem.

Modelo de horta suspensa feita com garrafas PET.

Além disso a escola implantou papeleiras nos banheiros e refeitórios o que reduziu em 25% o consumo de papel toalha.
Cada sala passou a ter uma caixa para colocar o material reciclável e a equipe de limpeza ao final do dia passava recolhendo. Os pais da criançada também puderam confeccionar brinquedos e materiais úteis como carteira feita com caixa de leite e porta-celular com embalagem de shampoo.

Também analisei alguns produtos de cozinha e de limpeza, observei que eram originários de outros estados o que aumenta o custo por causa do transporte, sem mencionar a liberação de gases do efeito estufa liberado pelos automóveis.

A equipe da cozinha já preparava o café em coador de pano, e dessa forma evitava, o consumo de coadores de papel, o ideal também é mudar o palito de fósforo por um acendedor de fogão evitando o consumo de madeira.

Pequenas mudanças assim, como mudar um produto comum para um concentrado para render mais, obter pacotes maiores como o saco de arroz de 5 quilos ao invés de apenas 1 quilo, cada funcionário ter sua garrafa para não utilizar copos descartáveis e mudar o tipo de saco de lixo por um biodegradável também são boas opções para evitar o excesso de embalagens e ajudar a natureza de um jeito bem fácil!

Fantoches feitos com caixas de leite.

Dicas: brinquedos com sucata devem ser úteis, caso contrário a criança ao brincar vai acabar quebrando-o com facilidade e o pior é que fica difícil a reciclagem destes materiais já que estão pintados ou envolvidos com algum tipo de papel. Neste caso você gera ainda mais lixo ao invés de evitá-lo.

Se você não tem espaço para fazer uma horta, pode fazer uma horta suspensa com garrafa pet como você pode ver na foto.

* Débora Cavignato é bióloga e trabalha com desenvolvimento de Projetos de Educação Ambiental, dando palestras para jovens e adultos sobre consumo sustentável e atua em escolas. O texto “Consumo Sustentável na pré-escola” foi escrito por Débora para o portal Atitude Sustentável relatando a sua experiência em uma pré-escola em São Bernardo do Campo. Todas as imagens foram cedidas pela autora.