É lançada a primeira coleção da Agreen, marca de roupas sustentáveis desenvolvida por Henrique Garrido, de 19 anos. O objetivo é a conservação e a não degradação do meio ambiente, além da promoção da sustentabilidade ambiental e social.

Para isso, todas as peças tem etiquetas feitas com fibra de bambu e todos os tecidos usados são de fibra natural. Houve também uma preocupação em reduzir os processos químicos na estamparia. Na embalagem, não são utilizados plásticos – todas as embalagens são feitas com materiais reciclados ou de reflorestamento.

Modelos de estampas da Agreen (Foto: divulgação).

Ainda assim, foram encontradas dificuldades na hora de montar a pequena fábrica. “Por falta de experiência e pelo negócio ser pequeno e com pouco investimento, todas as fases foram complicadas. Atualmente tudo que é ambientalmente correto é mais caro, o que reflete na quantidade do volume mínimo dos pedidos, que sempre foram maiores do que a gente realmente precisava, mas mesmo assim não deixamos de investir em materiais sustentáveis, mesmo com toda dificuldade”, explica Henrique.

Henrique estuda administração em São Leopoldo, e fez uma pesquisa sobre roupas e sustentabilidade para um trabalho do curso. A família resolveu apoiar a ideia, e ajudou o jovem a criar a marca.

“Acho que não tive uma inspiração concreta, acho que foi algo que já tava na minha pessoa e foi se desenvolvendo gradativamente. Sempre fui ligado a esportes, natureza, viagem, e de certa forma sempre senti alguma obrigação de cuidar ou valorizar do meio ambiente”, diz Henrique.

Outras iniciativas sustentáveis da Agreen são: encomendas em Porto Alegre são feitas por cicloboys e parte do faturamento é doado para a Fundação Gaia.

Veja mais informações aqui.

http://www.agreen.net.br/index.php