A França vai adotar um incentivo para ciclistas que já funciona na Bélgica: os trabalhadores que usarem a bicicleta como meio de transporte vão receber por isso. O valor do incentivo na Bélgica é de €0,21 por quilômetro pedalado. A França ainda estuda o valor, mas é provável que seja igual. As empresas que adotarem o modelo recebem isenções do Estado.

Essa ação faz parte de um plano francês para aumentar a mobilidade no país. Outras ações do plano serão permitir que os ciclistas avancem o semáforo vermelho quando virarem à direita, construir mais ciclovias e marcar as bicicletas com um código para combater os roubos e construir mais ciclovias.

Inicialmente, o governo francês deverá desembolsar cerca de €20 milhões, considerando os cidadãos que já usam a bicicleta como meio de transporte. Porém, foi feito um calculo estimado que a ação pode gerar uma economia de €5,6 mil milhões com os benefícios proporcionados à saúde das pessoas e limitação de gases poluentes.

Vários países europeus tomam iniciativas para incentivar o uso de bicicleta. A Alemanha, por exemplo, está fazendo ciclovias em rodovias, para os ciclistas fazerem pequenas viagens em segurança. As medidas são tomadas principalmente para cumprir a meta combinada entre os países da União Europeia, que até 2050 devem diminuir a emissão de CO2 para no máximo 308 milhões de toneladas por ano.

O gráfico abaixo, retirado da pesquisa “Cycle more Often 2 cool down the planet!”, mostra a quantidade de quilômetros que podem ser percorridos por cada modal com a mesma emissão de CO2:

A pesquisa concluí, ainda, que para pensar um uma mobilidade mais sustentável, deve-se pensar em maneiras de unir os modais (uma pessoa poderia fazer parte do caminho de bicicleta e parte do caminho de ônibus, por exemplo), para atingir os melhores resultados.