Segundo o monitoramento feito pelo NSIDC (centro de monitoramento de gelo e neve dos EUA), ligado à Universidade do Colorado,  o degelo no Oceano Ártico é o maior já registrado desde que o monitoramento começou há 30 anos.

O monitoramento é feito por imagens de satélite. No último 26 de agosto, a área coberta por gelo na região chegou a 4,1 milhões de quilômetros quadrados. É normal que essa área derreta no verão e volte a congelar no inverno, mas segundo os cientistas o degelo tem acontecido mais rapidamente. Uma análise dessas imagens mostrou que a cada década a área congelada diminuí em 13%.

O tamanho da área de gelo ainda deve diminuir, já que as temperaturas do verão no hemisfério norte continuam altas.