“A nova regulamentação da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), que permite a microgeração por consumidores domésticos, deve abrir oportunidades sem precedentes. O mercado brasileiro pode absorver algo em torno de mil turbinas eólicas de pequeno porte por ano”, projeta o engenheiro Luiz Cezar Pereira, diretor da Enersud, empresa especializada em soluções de geração energética a partir de fontes renováveis.

Ainda, segundo um levantamento da Associação Brasileira de Energia Eólica (Abeeólica), o Brasil poderá se tornar um dos líderes mundiais na produção de aerogeradores. A estimativa é que nos próximo cinco anos esses produtos movimentem cerca de R$ 25 bilhões no país.

Luiz Cezar Pereira, diretor da Enersud.

Para se preparar para esse novo mercado, a empresa intensifica o desenvolvimento de turbinas de eixo vertical, indicadas para o uso nos espaços urbanos, já que permite a geração de energia com ventos fracos e irregulares, presentes em grandes cidades. O novo modelo deve ser lançado no segundo semestre de 2013.

Segundo Luiz Cezar Pereira, o sistema terá fácil instalação. “A instalação de turbinas de até 1000 watt é bem simples. Pode ser feita por uma pessoa com manual de instrução”. Ainda segundo o diretor, com turbinas maiores é possível substituir toda a energia usada em uma casa e o retorno do investimento acontece entre 5 e 12 anos.