Uma das maneiras de diminuir o consumo de energia de uma casa é adequar o projeto ao espaço. Segundo a designer Patrícia Passo, professora do curso de projetos luminotécnicos do CEPDAP, essa economia pode chegar a 50%.

O projeto parte do estudo das seguintes características: finalidade do ambiente, perfil do usuário, efeitos de luz, eficiência energética e custo.

“Cada ambiente terá a iluminação ideal para o ripo de trabalho ou lazer que será ali executado. Por exemplo: em uma cozinha, vamos optar por lâmpadas mais econômicas e que tenham uma intensidade maior de luz, pois é um local laborativo”, explica Patrícia. Outro exemplo da designer são os locais que usam ar condicionado. Usar lâmpadas que não aqueçam o ambiente reduzem o consumo de energia por parte do equipamento.

Para pensar como fazer isso na sua casa, confira as dicas de Patrícia: “O ideal é optar por lâmpadas econômicas como florescentes e LEDs, principalmente nos ambientes em que o uso da iluminação é feita por muito tempo. Além disso, sempre recomendamos fazer a divisão correta dos circuitos de acendimentos, ou seja, separar o acendimento das luzes que são essenciais como locais de circulação, da iluminação de destaque como spots, por exemplo. Nos ambientes externos ou comerciais o ideal é optar pelo uso de sensores de presença, timers que permitem programar o período em que a luz deverá ficar acesa e o dispositivo de fotocélula, que fará o acendimento automático da iluminação de acordo com o horário no dia: anoitecer e amanhecer”.