A ação faz parte da campanha nacional, lançada no ano passado, da Unilever em parceria com Pastoral da Criança pelo acesso à água segura. O objetivo é melhorar a qualidade de vida de 1 milhão de famílias brasileiras e conscientizar para os riscos de doenças causadas pela água contaminada e a mortalidade na infância.

A campanha social Água Solidária que inicia no RJ nesta semana e continua ao longo de julho. O projeto acontece em parceria com a Pastoral da Criança e levará levar água segura para comunidades que convivem diariamente com a falta de água. (Foto: Divulgação)

Já é a segunda fase do projeto da marca de purificadores de água, Pureit, da Unilever. Desta vez, o estado do Rio de Janeiro foi o escolhido para a realização da campanha social, que beneficiará 150 famílias que vivem em 12 comunidades de áreas de risco, que são atendidas pela Pastoral da Criança, nos municípios de Duque de Caxias e Niterói.

As primeiras doações acontecem esta semana em 9 comunidades de Duque de Caxias: Santa Rita, Missão e Vida, Nossa Senhora do Pilar, Nossa Senhora das Graças, Nossa Senhora de Fátima, Nossa Senhora do Rosário, Nossa senhora Santana, Nossa Senhora da Glória e Cristo Rei. A seleção das comunidades para esta segunda fase foi realizada pela Pastoral da Criança, levando em conta os três principais desafios enfrentados pelas famílias da região: Catástrofes naturais, índices de saneamento básico e índices de diarréia.

As próximas comunidades beneficiadas serão as da região de Niterói e a comunidade de Xerém, em Duque de Caxias, ao longo do mês de julho. Xerém foi atingida por um temporal, no início deste ano, deixando centenas de desabrigados e uma vítima fatal. Até o final de 2013, Pureit pretende levar mais 3000 purificadores para diversas comunidades do Brasil, beneficiando cerca de 14 mil famílias.

Duque de Caxias

Duque de Caxias é o município com a maior proporção de crianças com diarreia no país, com 77,1% do total, em comparação aos 100 municípios mais populosos do Brasil. É o que mostrou uma pesquisa realizada no início deste ano pelo Instituto Trata Brasil.

Já o estudo sobre o Esgotamento Sanitário Inadequado e Impactos na Saúde da População mostra que Duque de Caxias teve internação média de 58,6 pessoas por 100 mil habitantes no mesmo período, ficando na posição 37 entre os municípios analisados. De acordo com os pesquisadores, do volume de esgoto gerado nas 100 cidades, somente 36,28% são tratados, ou seja, apenas nas cidades analisadas, quase 8 bilhões de litros de esgoto são lançados todos os dias nas águas sem nenhum tratamento – o equivalente a jogar 3.200 piscinas olímpicas de esgoto por dia na natureza.

O Ranking do Saneamento levantou a situação nas 100 maiores cidades do país, considerando a parcela da população atendida com água tratada e coleta de esgotos, as perdas de água, investimentos, avanços na cobertura e o que é feito com o esgoto gerado pelos 77 milhões de brasileiros dessas localidades (40% da população brasileira).

Água

A cada 15 segundos, uma criança morre de doenças relacionadas à falta de água potável, de saneamento e de condições de higiene no mundo, segundo o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef).

Apesar de possuir 15% de toda a água doce do mundo, o Brasil ainda sofre com a carência de água tratada e potável para o consumo. Mais de 14 milhões de pessoas não têm acesso a redes de distribuição de água no país. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), 28 mil pessoas morrem por ano no Brasil de doenças provocadas por água contaminada. São mais de 15 mil pessoas que morrem por ano em decorrência de diarréia.