Empresa fundada na Bahia, o Grupo Aurantiaca aposta no potencial brasileiro para o mercado de biomantas e biorrolos de fibras naturais do coco. Com um investimento de mais de 250 milhões, a empresa atua em toda a cadeia produtiva do fruto. O produto está sendo cada vez mais usado na bioengenharia, agronegócio e no setor automotivo.

As biomantas já estão sendo aplicadas no setor de bioengenharia, na recuperação de áreas degradadas, erosões, em obras emergenciais, proteções de cursos d´água e também no agronegócio. Segundo Roberto Lessa, vice-presidente da Aurantiaca, o material ainda tem potencial para atender o mercado automotivo, na utilização das fibras e compósitos em assentos, encostos, apoios de cabeça, forro de portas, tapetes, teto, porta-luvas entre outros. “Temos ainda um laboratório com capacidade para atender, desenvolver e solucionar demandas específicas dos fornecedores, de maneira rápida e eficiente”, ressalta Lessa.

Feita a partir do aproveitamento integral do coco, as fibras são costuradas formando uma trama bem resistente e protegida por redes de polipropileno ou juta, o que permite uma vida útil suficiente para os vários ciclos de germinação, além de serem altamente sustentáveis. O material evita erosões e ressecamento do solo, por reter a umidade, além de prevenir dispersão das sementes, criando um ambiente favorável para o desenvolvimento da planta. Sendo totalmente orgânica, a manta é biodegradável. Com o crescimento da vegetação no local, ela se decompõe te transforma-se em adubo.

Principais vantagens:

- Protegem imediatamente o solo contra a erosão superficial, até que a vegetação se estabeleça;
- Servem de mulch para a germinação de sementes;
- Aumentam a capacidade de troca catiônica do solo;
- Reduzem a erodibilidade e incorporam matéria orgânica;
- Possuem degradação programável;
- Reduzem a evaporação da água do sol e a insolação direta;
- Ancoram sementes, fertilizantes, mulch e topsoil;
- Reduzem o escoamento superficial da água;
- Favorecem a infiltração de água no solo;
- Reduzem o carreamento de sedimentos para os cursos de água;
- Permitem o plantio em épocas de estiagem;
- Incorporam e mantêm nutrientes no solo;
- Melhoram o aspecto visual das áreas degradadas rapidamente;
- Proporcionam rapidez no processo de revegetação;
- Impedem a erosão eólica;
- Protegem margens de cursos de água, reservatórios e canais.