Durante o 13º Simpósio Brasileiro de Impermeabilização, foi apresentado o estudo “Determinação da resistência de materiais impermeabilizantes à ação perfurante de raízes”, elaborado e apresentado por José Eduardo Granato (gerente comercial da área de química para construção da Viapol), que mostra de forma clara as vantagens da adoção de coberturas verdes ou jardins suspensos em diversas construções, ao mesmo tempo que alerta sobre os cuidados que a técnica exige.

Viapol antiraiz (Imagem: Divulgação)

Também demonstra-se por meio de ensaios que, dentre as soluções para a impermeabilização com foco na sustentabilidade e preservação do meio ambiente das coberturas verdes, as mantas asfálticas com aditivos antirraiz vêm ao encontro de um sistema de impermeabilização seguro contra a perfuração de raízes.

Cobertura verde é uma técnica de arquitetura que consiste na aplicação e uso de solo e vegetação sobre uma camada impermeável, geralmente instalada na cobertura de residências, fábricas, escritórios e outras edificações. As principais vantagens na utilização das coberturas verdes são:

• Isolamento térmico da cobertura da edificação, chegando a reduzir a carga térmica; (fluxo térmico) em até 75%;
• Isolamento acústico, reduzindo o barulho em mais de 8 db;
• Diferencial estético e ambiental pelo projeto paisagístico;
• Microclima que purifica a atmosfera no entorno da edificação;
• Reduz o efeito estufa;
• Aumenta a umidade relativa do ambiente em torno;
• Aumenta a contensão de água para evitar enchentes, já que atua como um acumulador de água de chuva;
• Reduz entre 10 a 20% a poluição ambiente;
• Aumenta a absorção de CO2 e é fonte de oxigênio;
• Criação de novas áreas verdes;
• Ecossistema, atraindo pássaros, borboletas e outros animais.

Exemplo de jardim suspenso feito pela Viapol (Imagem: Divugação)

A principal desvantagem, além do custo inicial do paisagismo, é o risco da ocorrência de infiltrações, caso a impermeabilização não seja executada de forma adequada. O principal problema relacionado a falhas da impermeabilização é a ação perfurante das raízes da vegetação das coberturas verdes. Sistemas de impermeabilização inadequados são muitas vezes adotados, acarretando em falhas da impermeabilização, com alto custo de refazimento, pois para o refazimento da impermeabilização é necessário a retirada de toda cobertura verde, com alto custo nesta operação.

A aplicação de tintas à base de alcatrão sobre a proteção mecânica das impermeabilizações são muitas vezes adotadas, sem contudo resolver o problema, já que as raízes podem penetrar nas trincas e fissuras da argamassa de proteção mecânica. Também o alcatrão é um produto comprovadamente cancerígeno, acarretando em um passivo ambiental que deve ser evitado. Aliás, se demonstrou nos ensaios elaborados que o alcatrão é extremamente nocivo a vegetação do paisagismo, além de contaminar a água que entra em contato com o alcatrão.

Dentro das soluções para a impermeabilização com foco na sustentabilidade e preservação do meio ambiente das coberturas verdes, as mantas asfálticas com aditivos antirraiz vem ao encontro de um sistema de impermeabilização seguro contra a perfuração de raízes.

Para comprovar a eficiência dos aditivos antirraiz, foi efetuado um Ensaio de Determinação da Resistência de Materiais Impermeabilizantes à Ação Perfurante de Raízes, elaborado pela FEAGRI – Faculdade de Engenharia Agrícola da UNICAMP-Universidade Estadual de Campinas, na forma de dois projetos de Iniciação Científica, elaborados pelos alunos Davi Sartorello de Caxias e Gabriela Kurokawa e Silva, sob a orientação da Profª. Drª. Mara de Andrade Marinho Weill.

Assim sendo, os projetistas de impermeabilização, os arquitetos, os construtores, os fabricantes e os aplicadores de impermeabilização devem sempre utilizar sistemas de impermeabilização comprovadamente resistente a raízes, de forma a garantirem eficiência e durabilidade, viabilizando economicamente e a longo prazo este excelente sistema construtivo sustentável.