Durante o Greenbuilding Brasil 2013 – Conferência Internacional e Expo, Saulo Nunes Filho, diretor de Incorporação da Odebrecht Realizações Imobiliárias, comentou sobre o andamento do projeto do Parque da Cidade. Ele apresentou o empreendimento, que será construído na região da Av. Nações Unidas, zona Sul de São Paulo, próximo à Marginal Pinheiros.

O Parque da Cidade contemplará prédios comerciais e residenciais, ciclovia, espaço cultural, hotel, restaurantes e um parque linear, tudo em uma área de convivência de 62 mil m² com tratamento de águas pluviais, painéis solares e central de coleta e separação de resíduos.

“Nosso projeto urbanístico tem como meta oferecer às pessoas tudo o que precisam em um mesmo espaço, como uma cidade compacta”, explica. Saulo afirma que, após realizarem diversas pesquisas em cidades-modelo de sustentabilidade, como Nova York, Londres, Estocolmo e Melbourne, chegaram à conclusão de que São Paulo precisa de locais como este, em que as pessoas convivam em um espaço moderno e sustentável.

Veja perspectivas ilustradas do Parque da Cidade:

Fachada do Parque da Cidade (Imagem: Odebrecht)

Vista aérea do Parque da Cidade (Imagem: Odebrecht)

Acesso ao Office do Parque da Cidade (Imagem: Odebrecht)

Ciclovia do Parque da Cidade (Imagem: Odebrecht)

Praça das Águas do Parque da Cidade (Imagem: Odebrecht)

Praça das Árvores do Parque da Cidade (Imagem: Odebrecht)

Playground do Parque da Cidade (Imagem: Odebrecht)

Ainda durante o evento, no painel reservado ao Green Design, o consultor de edificações sustentáveis e LEED Fellow, Gunnar Hubbard ressaltou a importância de integrar logo no início do projeto medidas verdes. “Quando começo um projeto, gosto de olhar para a natureza. Os prédios devem funcionar como árvores, ou como as fontes térmicas com o ar quente indo para cima resfriando a massa, que pela manhã, está selada para manter a temperatura. O girassol se move em busca do sol ao longo do dia. Então penso: como nossos edifícios podem captar a energia de forma que, se houver uma queda de energia ao redor, ele possa enviá-la aos prédios vizinhos?”.

Hubbard explica que o projeto é muito mais maleável em seu início. “Linhas no papel não custam nada. Contudo, muitas vezes os arquitetos querem definir o número de quartos e outros detalhes da obra sem, no entanto, já pensar em como a sustentabilidade pode ajudar no projeto. É uma perda de oportunidades”. O arquiteto analisou com moldes 3D a orientação de cômodos, a qualidade de luz solar, a qualidade do ar interno e a radiação de calor.

Serviço:
Greenbuilding Brasil – Conferência Internacional & Expo
Data: De 27 a 29 de agosto de 2013 | 30 de agosto – Visitas Técnicas
Local: Expo Center Norte, São Paulo
Horário: Exposição: 10h às 19h
Conferência: 9h às 18h
Visitas: 8h às 13h