Uma nova tecnologia está sendo desenvolvida por pesquisadores da Universidade de Cincinnati, podendo mudar completamente como ambientes são iluminados. O projeto, chamado de SmartLight, aproveita a energia solar, mas não da maneira que você esperaria.

Atualmente, a maior parte da luz que atinge a lateral de um edifício não é utilizada, sendo muitas vezes indesejada. Os pesquisadores produziram uma camada minúscula de células cheias de líquidos que pode ser aplicada em janelas na parte exterior e interior, assim como nas paredes.

Com um pequeno impulso elétrico, o fluido muda de forma para que a luz seja direcionada para onde é desejada, um ponto específico como feixe ou para um ambiente inteiro.

A luz extra também pode ser armazenada como energia elétrica e também, durante a noite o processo pode ser manipulado ao contrário, onde um ambiente iluminado leva a luz para outros cômodos. Num dia nublado, por exemplo, a luz natural e a artificial podem ser misturadas.

Tudo isso, dizem os pesquisadores, pode ser controlado por um smartphone. Sentado em uma mesa, você pode ajustar a iluminação através de um aplicativo que se conecta ao servidor do edifício. Você ainda pode ter interruptores de parede, apesar de sua função não ser realmente conectar os fios, uma vez que todo o sistema está configurado via wi-fi.

O projeto ainda está na etapa inicial, na qual os pesquisadores provaram que as células podem direcionar a luz em pequena escala. Eles acreditam que o sistema possa ser construído com um custo baixo, tendo o revestimento uma aparência semelhante a uma tela de LCD, e a despesa seria novas janelas e um servidor.