O MDF é um material que já conquistou seu espaço pela facilidade e versatilidade de manuseio, além do baixo valor comercial. Contudo, ele é fabricado triturando pedaços de árvores para gerar fibras de madeira, que são então pressurizadas e coladas com resina e cera. A resina atualmente usada é composta por ureia e formaldeído, um produto cujo uso é controlado devido a preocupações com a saúde. Ou seja, ele não é reciclável nem compostável.

O professor Andrew Abbott, da Universidade Leicester (Reino Unido), criou um produto similar ao MDF que usa uma resina feita com amido, um produto obtido de fontes naturais e renováveis – de batatas, por exemplo.

“É impressionante ver alguém pegar um material comum em todas as nossas casas e resolver suas limitações-chave. O professor Abbott conseguiu reinventar o MDF, transformando-o em um produto que terá muito mais relevância em uma sociedade ambientalmente consciente,” disse o Professor Anthony Cheetham, da Royal Society, que escolheu o trabalho de Abbott como a “Inovação do Ano 2013″.

Usando apenas matérias-primas naturais, o “MDF ecológico” é mais fácil e mais barato de fabricar – é só aquecer e prensar -, além de ser mais fácil de trabalhar do que as placas de MDF tradicionais.

“Nós poderemos agora escalonar nosso processo do laboratório para a fabricação em escala industrial de um produto que eu espero irá revolucionar as indústrias dependentes de MDF e proporcionar-lhes uma alternativa mais ecológica,” disse o professor Abbott. (via Inovação Tecnológica)