A Diretoria do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) aprovou financiamento de R$ 747,45 milhões para a Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp). Os recursos serão destinados a apoiar a interligação das represas Jaguari (Bacia do Paraíba do Sul) e Atibainha (Sistema Cantareira), visando o aumento da disponibilidade hídrica do Sistema Integrado de Abastecimento de Água da Região Metropolitana de São Paulo (RMSP), através da recuperação das represas do Sistema Cantareira.

 

Represa Paulo de Paiva Castro

O contrato foi assinado nesta quinta-feira, 25, no Palácio do Planalto, com a presença da presidenta Dilma Rousseff, do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, e do presidente do BNDES, Luciano Coutinho.
O projeto apoiado pelo BNDES é o principal e o de maior magnitude em curso atualmente no País para aumentar o abastecimento de água de forma adequada e segura à população. Os investimentos preveem a captação de água na represa Jaguari, na bacia do Paraíba do Sul, e transferência de vazões para a represa Atibainha, localizada no Sistema Cantareira. A vazão média prevista é de 5,13 m³/s e máxima de 8,5 m³/s.
A iniciativa faz parte de um conjunto de ações para garantia da disponibilidade de água, que se divide em iniciativas de combate à crise hídrica (curto prazo) e à escassez hídrica (médio e longo prazos). Os investimentos referem-se, fundamentalmente, a obras civis, que contemplam a implantação de adutora em vala, a construção de túnel e de prédio da elevatória e demais estruturas necessárias à adução da água. Serão gerados cerca de 1750 empregos diretos e 3400 indiretos durante as obras.
A crise hídrica do biênio 2013-2014 reduziu de maneira brusca o nível dos reservatórios da RSMP e trouxe urgência ao plano para aumento da segurança hídrica da região. O projeto faz parte do Plano de Aceleração do Crescimento (PAC).
A Sabesp oferece diretamente serviço de saneamento básico a 364 dos 645 municípios de São Paulo. Com isso, atende a, aproximadamente, 28,4 milhões de pessoas, equivalente a 67% da população urbana do Estado, o que a torna a maior empresa de saneamento das Américas em número de clientes e a quinta maior do mundo em população atendida.