ReciclagemFormada por ações de sustentabilidade e inclusão social, a Federação Nacional das Empresas Prestadoras de Serviços de Limpeza e Conservação (Febrac), em parceria com os sindicatos estaduais associados, promove em setembro, a 8ª edição da Ação Nacional Febrac.

O evento, realizado anualmente em todo o país, faz parte das comemorações do Dia Mundial de Limpeza e reúne empresários, trabalhadores e fornecedores do segmento de Asseio e Conservação para realizar a limpeza e manutenção de ponto turístico ou escola.

Durante todo o dia, com material e maquinário disponibilizado pelas empresas parceiras, diversos voluntários estarão envolvidos nos trabalhos de limpeza e conservação do local escolhido para a ação.

Edgar Segato Neto, presidente da Febrac, comenta que a Ação Nacional é uma forma do segmento dar exemplo sobre a importância da sustentabilidade e do descarte correto do lixo. “Além de ajudar com a conscientização da sociedade em relação à utilização dos recursos naturais, também valorizamos e cuidamos dos espaços públicos e escolas de nossa cidade”, ressalta.

Neste ano, além das atividades envolvendo a limpeza e conservação, outras ações como recrutamento profissional de pessoas com deficiência, campanha de doação de livros e brinquedos, limpeza nas escolas e coleta de lixo eletrônico serão realizadas no decorrer do ano.

Números da edição passada

VII Ação Nacional Febrac – 2014
Lixo coletado: Mais de 25 toneladas
Participantes: 130 empresas e mais de mil voluntários
Contratação de pessoas com deficiência: 4.200 vagas disponibilizadas
Sindicatos/estados participantes: 13
Mudas distribuídas/doadas: 1.165

Reciclagem

Longe de atingir as metas estipuladas pela Política Nacional de Resíduos Sólidos, instituída pela Lei 13.305/2010, o Brasil ocupa a 5ª posição entre os países que mais produzem lixo no mundo, atrás apenas de Estados Unidos, China, União Europeia e Japão.

De acordo com o Ministério do Meio Ambiente, 30% do lixo produzido no país pode ser reciclado. No entanto, somente 3% vão para centros de reciclagem. “Para que as práticas sustentáveis tenham resultado efetivo, é necessário que, além da conscientização das pessoas, os gestores públicos criem projetos para incentivar e facilitar a prática”, destaca o presidente da Febrac.