packaging-781406_1280Um problema comum, que impacta no fluxo, na produção e, sobretudo, nas finanças das empresas brasileiras. Na indústria de embalagens, ele é ainda maior, pois reflete diretamente na quantidade de produto acabado. Trata-se do desperdício de matéria-prima, situação recorrente e ignorada em muitas instituições e que é evitado com a escolha dos suprimentos certos.

“Um material de qualidade funciona melhor nos equipamentos e em todos os processos de produção de embalagens, o que evita perdas. Por exemplo: nas embalagens de alto valor, a cada etapa do processo se acrescenta mais matéria-prima. Se ao final não der certo e o cartão não se comportar bem, será necessário jogar tudo fora, o que ocasionará em grande prejuízo para a gráfica”, explica Fabiane Staschower, Mestre em Embalagem pela Michigan State University e executiva de Relacionamento com o Mercado da Ibema.

Fabiane explica que o dimensionamento correto da embalagem para acondicionar o produto, o layout da folha de impressão e a escolha da gramatura correta do cartão são as formas mais simples de redução do consumo de matéria-prima na produção gráfica.

De acordo com a profissional, é importante testar as embalagens previamente para saber quais dimensões podem ser reduzidas e que as gramaturas escolhidas satisfazem a necessidade. “Não adianta em nada diminuir a gramatura do cartão e usar um insuficiente para proteger o produto, assim haverá maior desperdício e estaremos indo contra ao conceito de sustentabilidade”, esclarece.