Fomos convidados e Fomos conferir.  Foram dois dias inteiros  visitando o Polo Jeep em Pernambuco. Muitas surpresas sustentáveis a serem seguidas! E a prova de que é possível produzir e ser sustentável fechando círculos, envolvendo pessoas e toda a comunidade. Quando pensamos a marca JEEP,  pensamos em aventura, em caminhos desafiantes, em descobrir estradas por ninguém navegadas!! Localizado em Goiana (PE) e inaugurado em abril de 2015, o Polo Automotivo Jeep foi o primeiro grande investimento da Fiat Chrysler Automóveis (FCA), empresa constituída a partir da fusão global entre a Fiat e a Chrysler em outubro de 2014. É a fábrica mais moderna do mundo do grupo.

Com quatro anos de operação recém completados, a planta Jeep conquistou a certificação Prata do World Class Manufacturing. Em 2016, foi certificada com o nível bronze com apenas um ano de funcionamento. Hoje, a Jeep reforça seus atributos e se torna a planta que alcançou o nível Prata no menor tempo de operação na América Latina.

ENVOLVENDO PESSOAS- Instalar o Polo Jeep em Pernambuco foi um grande desafio, pois a Zona da Mata Norte não tinha tradição industrial. Impulsionamos, dessa forma, a capacitação de cerca de 8 mil pessoas, grande parte moradores da região, que trabalharam durante dois anos nas obras de construção da fábrica Jeep. E continuamos a investir na educação e na qualificação dos interessados em trabalhar na Jeep. Revelamos talentos, transformamos vidas, geramos oportunidades. Foi, certamente, um dos maiores programas de capacitação já realizados por uma empresa do setor automotivo no Brasil. (Pierluigi Astorino – Plant Manager do Polo Automotivo Jeep)

ENCURTANDO CAMINHOS-  LOGÍSTICA E FLUXO DE MATEIRAIS-  No perímetro fabril, encontra-se o Parque de Fornecedores, um complexo de 12 edifícios que abrigam 16 empresas responsáveis por 17 linhas de produtos. As linhas de insumos e componentes consideradas mais estratégicas, que impactam fortemente a logística e a qualidade, estão, dessa forma, instaladas ao lado da planta. Essa localização permite maior flexibilidade no abastecimento, com a adoção dos sistemas just in time just in sequence.

SEM DESPERDÍCIOS-  A planta Jeep foi pensada com layout inovador, otimizado com fluxos de materiais e de produtos concebidos dentro dos mais elevados parâmetros do WCM. Através dele, a gestão visa o desenvolvimento do nível operativo por meio do combate ao desperdício, do desenvolvimento das pessoas e da utilização de métodos e ferramentas para eficiência máxima dos processos.

EDUCAÇÃO-  A educação é seu principal pilar de investimento social. No Polo Automotivo Jeep, através do programa Rota do Saber, a Jeep promove o fortalecimento da educação pública e gratuita na área de influência do polo, abrangendo seis municípios de Pernambuco e da Paraíba. O objetivo do programa é contribuir de forma significativa para a melhoria da qualidade do ensino fundamental público nos municípios de Goiana, Igarassu, Paulista e Itambé, no Estado de Pernambuco, e Alhandra e Caaporã, na Paraíba. O programa abrange 205 escolas, 967 mil educadores e impacta diretamente 27 mil alunos. O Rota do Saber é uma iniciativa da FCA em parceria com a Magneti Marelli, empresa que integra o grupo, o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e o Instituto Qualidade do Ensino – IQE.

VOZES DAQUI-  Agora, a FCA está lançando Vozes Daqui, em parceria com a Fundação Banco do Brasil e a AVSI. O projeto vai atuar, durante três anos, de forma a fomentar o protagonismo de alunos, professores e da comunidade para a criação e o desenvolvimento de ações que visem a melhoria do espaço físico de nove escolas do município e da relação escolar entre todos os envolvidos.

CARBONO NEUTRO-  O Polo Jeep foi a primeira fábrica no setor automotivo na América Latina a ter o certificado CARBONO NEUTRO, conquistado em 2017. De forma pioneira, desenvolveu processos para reduzir e neutralizar emissões de gases de efeito estufa geradas pela manufatura, com amplo envolvimento dos funcionários. O projeto é benchmarking no Grupo FCA no mundo. Para reduzir as emissões, a planta Jeep adota uma série de medidas de eficiência energética. A fábrica possui, por exemplo, sistemas que substituem o uso da energia elétrica convencional pela oriunda de fontes renováveis.

REÚSO DA ÁGUA- O Polo Automotivo Jeep iniciou as atividades em 2015, já com um dos mais modernos sistemas de tratamento de efluentes e REÚSO DE ÁGUA do país. Praticamente, eliminamos o uso de água potável para fabricar carros. A água vem da estação de tratamento que, somada ao trabalho da manufatura de reduzir o consumo de água por carro produzido, faz da Jeep referência no setor automotivo em gestão hídrica. Todo o efluente gerado no Polo Automotivo Jeep é tratado em um sistema com capacidade de 210 mil litros/hora e que tem como diferenciais as tecnologias de Membrana – MBR, e Osmose Reversa. O índice de recírculo está entre os maiores do Brasil: 99,5%. Em um mês, cerca de 28 mil m³ de água (equivalente a oito piscinas olímpicas) deixam de ser captados da rede pública de abastecimento.

ATERRO ZERO-  O Polo Automotivo Jeep é a primeira planta do Nordeste a ser ATERRO ZERO. Desde outubro de 2015, 100% dos resíduos gerados são enviados para reciclagem e reutilização. Todos os resíduos gerados no Polo Automotivo Jeep vão para a Ilha Ecológica, uma área de 3 mil metros quadrados com 82 profissionais, em três turnos de operação, que atuam no gerenciamento de 14 mil toneladas mensais de 114 tipos de resíduos diferentes. Atualmente, são 34 contratos de destinação de resíduos. A maioria é de empresas da região. O “Aterro Zero” impulsionou no entorno do Polo o desenvolvimento da cadeia da reciclagem, com a criação de oportunidades de novos negócios.

A caminhada rumo ao desenvolvimento sustentável exige planejamento e estratégia. Não são ações pontuais, mas um processo de gestão com visão de longo prazo e metas claras que permeiam toda a empresa, da diretoria ao chão de fábrica. Todos engajados em colaborar com soluções, co-criando um mundo cada dia melhor.

Já foram plantadas, desde 2014, cem mil mudas de 295 diferentes espécies, sendo 27 em extinção, produzidas no viveiro.

Já foram plantadas, desde 2014, cem mil mudas de 295 diferentes espécies, sendo 27 em extinção, produzidas no viveiro.