A caminhada rumo ao desenvolvimento sustentável exige planejamento e estratégia. Não são ações pontuais, mas um processo de gestão com visão de longo prazo e metas claras que permeiam toda a empresa, da diretoria ao chão de fábrica. Todos engajados em colaborar com soluções, co-criando um mundo cada dia melhor.

1. O galpão possui sistemas que permitem a entrada de luz solar, evitando o uso de luminárias. Substituímos o uso da energia elétrica convencional por fontes renováveis de energia.

2. A ação para reduzir o uso de energia elétrica em Prensas está no motor. Ele regenera energia, ou seja, transforma energia cinética, que seria dissipada, em energia elétrica, que, por sua vez, é direcionada para o próprio equipamento.

3. Foi implantada a logística reversa no processo de recebimento das bobinas de aço. Para proteção do material, os fornecedores utilizam uma borracha para evitar o atrito entre as bobinas. Após a utilização das bobinas, a borracha protetora retorna para o fornecedor para ser utilizada novamente. Cerca de cinco toneladas

4. Para engajamento de todo o time usamos o treinamento através da DOJO. Todos os novos colaboradores são capacitados antes do início de suas atividades e os cerca de 500 colaboradores da área passam por uma reciclagem anualmente.

5. A planta Jeep é a primeira do grupo FCA a utilizar o ciclo compacto de pintura ou primerless. O primer é o processo de aplicação de uma espécie de pintura-base antes da cor final do veículo. Com o primerless, além de garantir a maior eficiência produtiva – economia de cerca de 40 minutos, há também redução do consumo de tinta, energia e emissão dos gases causadores do efeito estufa.

6. Desde a inauguração e com os equipamentos instalados, a unidade do Polo Automotivo Jeep consome 20% menos produtos químicos e 29% menos energia. No entanto, com o desenvolvimento de projetos de melhoria contínua, o consumo de energia da Pintura já chega a ser, em 2019, cerca de 40% menor que outras pinturas automotivas.

7. Outra solução inovadora foi a implantação de sistema de recírculo do ar quente gerado pelos fornos, que também reduz o consumo de energia.

8. O polo Jeep possui o valor mais baixo de emissão de compostos orgânicos voláteis (VOC) entre as indústrias automotivas do grupo FCA e entre os principais competidores automotivos do mercado, além de possuir zero emissão de CO2 na atmosfera.

9. O edifício que abriga a Montagem foi especialmente desenhado no formato “Três Dedos” para otimizar a operação e a interação com o Parque de Fornecedores. Esse formato aumenta a agilidade na chegada das peças dos fornecedores até o ponto de utilização na linha de montagem, otimizando o fluxo logístico, com redução de emissão de CO2 e a reutilização de embalagens. A maioria das embalagens é retornável, de acordo com a gestão dos 5Rs(Recuse, Reduza, Reutilize, Recicle e Recupere).

10. As embalagens de madeira e papelão foram substituídas por embalagens retornáveis. Só este ano, mas de 30 toneladas de papelão deixaram de ser utilizadas.

11. As linhas são desligadas nos intervalos do almoço e jantar para redução do consumo de energia.

12. No fim do processo, 100% dos carros são testados na cabine hídrica. É lá que são realizados os testes de infiltração, operando em sistema fechado com recirculação total da água utilizada.

13. Todos os resíduos gerados no Polo Automotivo Jeep, incluindo o Parque de Fornecedores, vão para a Ilha Ecológica, uma área de 3 mil metros quadrados onde os materiais têm destino certo. Após triagem, compactação ou trituração, são enviados para reciclagem e reutilização. São 82 profissionais, em três turnos de operação, que atuam no gerenciamento de 14 mil toneladas mensais de mais de 50 tipos de resíduos diferentes.

14. Um diferencial da Ilha Ecológica é a reciclagem de isopor. A tecnologia, criada pela FCA há 20 anos, reduz o volume do material 50 vezes. O isopor transforma-se em pequenas peças de plásticos que, enviados para uma empresa de reciclagem, são matéria-prima para a fabricação de canetas e capas de CDs.

15. Paralelo aos avanços na manufatura, o trabalho do time de Meio Ambiente é intenso para ampliar, cada vez mais, os índices de reciclagem e reaproveitamento. Resíduos de tintas, por exemplo, passam por processos químicos e transformam-se em nutrientes usados para plantação através de um processo chamado land application.

16. Atualmente, 34 contratos de destinação de resíduos. A maioria é de empresas da região. O “Aterro Zero” impulsionou no entorno do Polo o desenvolvimento da cadeia da reciclagem, com a criação de oportunidades de novos negócios.

17. Em quatro anos, com a reciclagem de cerca de 24 mil toneladas de papelão, cerca de 528 mil árvores deixaram de ser cortadas, além da economia de cerca de 240 mil m³ de água. Com a reciclagem de cerca de 58 mil toneladas de plástico, no mesmo período, cerca de 580 toneladas de petróleo deixaram de ser extraídas.