Aquecimento global, buraco na camada de ozônio, injustiças sociais, desmatamento na Amazônia, fome na África, corrupção internacional, crise mundial, geleiras derretendo, poluição, países em guerra por água potável, capitalismo, tratados internacionais, conferências, incoerências, influências, resistências… Ufa! Várias situações, acontecimentos e desafios pela frente. Tudo parece tão complexo pra você, quanto pra mim?

Pois é, apesar da dimensão de tudo isso, a princípio podemos pensar que são problemas sem solução, e que nada temos a fazer. Então te digo já, sem nenhuma dúvida: temos muito o que fazer! Podemos e devemos fazer. Você pode, seu amigo pode, seu vizinho pode, eu posso, aquele outro cidadão ali também pode. O exercício da cidadania socioambiental depende das atitudes que a gente toma.

Você já ouviu o termo “Pensar Global, Agir Local”? Os grandes dilemas globais precisam ser discutidos e resolvidos, e para isso, as ações locais são essenciais. Na sua cidade, no seu bairro, na sua rua, na sua casa, o que é que pode ser feito? Como que você cidadão pode contribuir para melhorar o lugar onde você vive? Não tenha medo de errar. Tenha medo apenas de ficar parado.

Sabe aquela moeda que você dá pra criança no farol? Ou aquela contribuição que você faz pra se livrar logo da tiazinha que liga todo mês no seu escritório? Mas qual é mesmo a instituição que ela representa? Doar é um ato de caridade, uma atitude importante que geralmente traz benefícios para quem recebe, entretanto é possível fazer muito mais do que isso. Doe seu tempo, doe sua alma, compartilhe seu coração. Que tal visitar uma creche, um asilo, ou aquela instituição filantrópica que uma vez você ouviu falar? E lá você pode descobrir como participar mais, e contribuir de fato para o trabalho realizado por eles, fazer parte de algo maior.

Cyberativismo também é legal, é importante demonstrar o que pensamos através da internet. Podemos utilizar a grande rede para publicar ideias, pensamentos, vontades. Podemos participar de discussões online, assinar uma petição, publicar fotos, compartilhar informações, utilizar o email como ferramenta. Mas somente isso ainda é pouco. Que tal sair na rua para demonstrar o que e como você pensa? Tem questionamentos, indignações, propostas? Você pode participar de mobilizações, coletivos, reuniões, grupos de trabalhos, eventos, cooperativas, associações, organizações não governamentais (ONGs), contribuir com o seu conhecimento, adquirir novos conhecimentos, ampliar seus horizontes.

Estudar é importantíssimo. Ler, pesquisar, viajar nas ideias, desenvolver ideias, etc. Mas complementar o conhecimento adquirido na literatura com vivências presenciais, não tem preço. Ver de perto, ver com os próprios olhos, conhecer, sentir na pele, vivenciar, estar presente, se envolver, tudo isso faz parte de nossa cidadania socioambiental. E aos poucos vamos evoluindo, nos conhecendo, conhecendo os outros, nos integrando mais com o planeta em que vivemos. Eu estou nesse processo. Conhecer, ensinar, aprender, explorar, exercitar, desenvolver, fazer!

Várias matérias publicadas aqui no Atitude Sustentável trazem coisas bacanas para você aplicar em sua vida, no seu dia-a-dia, na sua forma de se relacionar com o Planeta Terra. E nos meus próximos textos também vou escrever um pouco mais de dicas, ideias e propor discussões sobre as atitudes que podemos ter. E essas atitudes locais, geram resultados globais.

Já dizia minha avó, quem fica parado é poste!
E aí, vamos fazer acontecer?

Um abraço do Rex.
Livre Pensador, Cidadão Socioambiental, Andarilho, Biker e Terráqueo.