Somos também responsáveis

Por daniela meira às 14h01 de 31/05/2011

Um estudo do governo britânico defende a produção sustentável de mais alimentos para acabar com a fome no mundo, recomendando mudanças na agricultura. A investigação, que envolveu, durante dois anos, 400 peritos de 35 países, admite, neste contexto, o recurso à nanotecnologia, à clonagem e à tecnologia geneticamente modificada.

Segundo John Beddington, consultor científico do governo de Londres, temos 20 anos para produzir mais 40% de comida, mais 30% de água potável e mais 50% de energia para melhorar nosso futuro. Os autores do estudo reconhecem dificuldades, mas sugerem mecanismos que obriguem os governos e produtores de alimentos a prestarem contas sobre os progressos na redução da fome, no combate às alterações climáticas e no aumento da produção alimentar.

Além dos especialistas e estudiosos, nós temos nossa responsabilidade também em pequenas atitudes. Ao abrir uma torneira para lavar louça, lavar uma verdura ou simplesmente passar uma água naquela panela de pouco uso podemos estudar uma maneira mais razoável de viver em sociedade, com as pessoas, com os animais e com o meio ambiente. Pequenas atitudes, de todos, juntos se transformam em grandes atitudes para todos nós.

Atitudes Verdes

Por daniela meira às 15h33 de 23/05/2011

Uma loja da rede Pão de Açúcar de Indaiatuba (SP) foi eleita a vencedora entre os melhores projetos arquitetônicos e construções sustentáveis no Brasil pela Academia GreenBest. Depois que li este artigo, achei bacana repassar neste blog as medidas tomadas no projeto que transformou uma loja de supermercado em sustentável. As medidas podem sim ser tomadas em restaurantes e cozinhas e transformar estes locais, em sustentáveis não só por reciclar lixo e óleo.

Entre as medidas estão: vagas preferenciais para veículos biocombustíveis e bicicletário; posto de reciclagem; energia para o funcionamento a partir de fontes renováveis; telhas com manta isotérmica e alta capacidade reflexiva, amenizadoras de temperatura interior; torneiras e válvulas inteligentes, que diminuem em 40% o consumo de água; mobiliário em madeira certificada (FSC); sacolas retornáveis, bandejas ecológicas produzidas com fécula de mandioca e sacolas plásticas mais resistentes e com material reprocessado. A loja pratica a reciclagem de embalagens e resíduos, além de ter postos de coleta para pilhas e baterias.

São Paulo, o pólo gastronômico brasileiro, onde abrem restaurantes todos os dias, poderia pensar em atitudes assim.

Uma ideia nas alturas

Por daniela meira às 14h00 de 02/03/2011

Em algumas rotas internacionais de uma companhia aérea brasileira, o serviço de bordo na classe econômica é oferecido em recipientes produzidos a partir de bagaço de cana de açúcar, um material biodegradável… Sabia? Isto reduziu 47% o uso das habituais embalagens plásticas. Uma idéia que deu certo e que poderia ser espalhada…

O desenvolvimento do material composto de bandejas, caçarolas completas e saladeiras foi feito em parceria com a LSG Sky Chefs, empresa fornecedora de catering aéreo.

Uma boa ideia, não é?

Você já comeu seu orgânico hoje?

Por daniela meira às 12h47 de 01/02/2011

Os produtos orgânicos são a melhor forma de nos protegermos da exposição às toxinas encontradas nas práticas agrícolas convencionais. Os efeitos causados pela exposição a esses pesticidas, solventes e metais pesados, podem incluir alergias, malformações congênitas, câncer e distúrbios psicológicos. A ingestão destes produtos são cumulativos.

Em dois estudos distintos, o Conselho de Defesa de Recursos Naturais (E.U.A. – 1989) e o Grupo de Trabalho do Meio Ambiente (E.U.A. – 1998) concluíram que milhões de crianças americanas são expostas através da alimentação a níveis de pesticidas acima dos limites considerados seguros. Alguns desses produtos são reconhecidamente tóxicos para o cérebro em desenvolvimento. E durante o crescimento as crianças são mais vulneráveis aos efeitos cancerígenos desses pesticidas.

Segundo o jornal Folha de São Paulo, o relatório da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA), divulgado em abril de 2008, documentou níveis alarmantes de agrotóxicos, incluindo substâncias já proibidas, em diversas frutas e vegetais cultivados no Brasil. Minimizar a exposição à essas substâncias tóxicas é uma atitude importante em termos de investimento em saúde. Mas isso não é tudo. Os cientistas estão agora comprovando que os alimentos orgânicos são mais nutritivos do que os alimentos cultivados de forma convencional. Uma revisão de 41 estudos, comparando os valores nutricionais de frutas, vegetais e grãos cultivados organicamente com os cultivados de forma convencional, demonstrou que os orgânicos possuem em média: 27% mais vitamina C, 21,1 % mais ferro, 29,3% mais magnésio e 13,6% mais fósforo.

Conclusão: os produtos orgânicos, além de serem muito melhores para o planeta, não possuem produtos tóxicos que se acumulam no organismo causando doenças fatais e outras crônicas e são mais nutritivos em relação à quantidade de vitaminas e minerais que possuem. Seria uma bobagem não aderir aos orgânicos, não acha?

Quer saber mais sobre alimentos e gastronomia?
Acesse o blog Informações à Mesa .

Promessas para um mundo melhor

Por daniela meira às 14h28 de 19/01/2011

O ano começou e com ele vêm as boas e antigas promessas de uma vida mais saudável, tranquila, com mais amor e paz. E para que estas promessas sejam cumpridas, algumas mudanças de posturas devem ser tomadas. Se quer uma vida mais saudável talvez o hábito de tomar aquela cervejinha no final do dia possa ser apenas nos fins de semana. Isso é uma mudança de atitude!

Que tal estender também essas promessas e mudanças para o planeta? Você toma chá de saquinho? Sabia que substituindo o chá de saquinho pelo coado na peneira você estaria tendo uma atitude sustentável? Assim, menos lixo vai para o aterro… Os restos da erva e até o pó de café usado servem como fertilizantes caseiros e podem se despejados na terra das suas plantinhas. Pequenas atitudes diárias fazem a grande diferença quando somadas. Aproveite o começo do ano e veja qual atitude você pode mudar. Quem sabe no final do ano sua horta estará mais bonita e o planeta com menos lixo! Afinal, estamos assistindo, nas enchentes de São Paulo, o que o lixo pode ajudar a provocar! Verdadeiras tragédias!

Então, na hora das compras lembre-se de que tudo o que está nas prateleiras das lojas teve um gasto de energia elétrica e de recursos naturais para ser produzido. Tente escolher produtos com menos embalagens. Assim, além de diminuir o lixo você estará contribuindo para reduzir os gastos a mais na fabricação do produto. Pense. Seria uma atitude admirável para um início de ano, não?

Que 2011 seja mais sustentável!

Por daniela meira às 12h44 de 29/12/2010

Nesta época que desejamos felicidade e sucesso a todos, que tal ajudar o planeta a também ter felicidade e sucesso?

Algumas dicas que podem ser usadas agora e durante 2011

1. Evite excessos

- Quando for comprar o menu da sua mesa de réveillon, faça o cálculo de quantas pessoas estarão presentes na ceia e se realmente é necessário ter três variedades diferentes de carnes e outras três de bebidas e sobremesas.

-Se possível dê preferência aos alimentos orgânicos, cujos métodos de produção priorizam o equilíbrio dos recursos naturais.

- No supermercado, prefira levar as compras em caixas de papelão. As sacolas plásticas são mais difíceis de se decompor e poluem mais.

2. Sempre

- Quando for se servir, coloque no prato pequenas quantidades. Se ainda sentir fome, repita. Assim, você evita o desperdício de comida.

- Sobrou comida da ceia? Aproveite as sobras para fazer outras receitas, como bolinhos, farofas e sobremesas. Ou doe as sobras para quem precisa

3. Atitude

- Evite os banhos longos e gastos desnecessários de água

- Final de ano é tempo também de fazer uma faxina geral na casa e na vida: que tal abrir seu armário e doar o que não usa para quem precisa?

4 . Lixo

-Recicle o lixo. Não se esqueça que existe uma pessoa que retira seu lixo da porta da sua casa. Pense nele e na sua segurança, separando o lixo para a coleta seletiva e evitando colocar latas enferrujadas, alimentos estragados e qualquer objeto cortante que possa machucá-los.

-Doe latas e embalagens recicláveis, para quem pode vendê-las e ganhar uma renda extra. O plástico demora, em média, 100 anos para se decompor, a lata de alumínio, de 80 a 100 anos, e o vidro mais de um milhão de anos.

Somente mudaremos a realidade do planeta, se mudarmos nossa realidade. Neste ano novo, que tal pensarmos em novas atitudes?

Feliz 2011!

Em um futuro próximo

Por daniela meira às 12h37 de 17/12/2010

Imagine poder comprar uma fruta, cortá-la e ela não ficar marrom por 20 dias! Parece loucura, não é, mas isso já é possível! E não só isso. Encontrar frutas e hortaliças que se mantenham atraentes para o consumo por mais tempo e sem alteração nutricional ou embalagens poluentes está mais próxima que você imagina.

A Nature Seal é a fabricante de uma mistura de vitaminas e sais minerais para aplicar na parte exterior de frutas e verduras e esta mistura forma uma capa protetora que inibe a oxidação das enzimas, mantém intacta a estrutura das células e tudo isso sem fazer mal à saúde! A Embrapa já faz pesquisas com coberturas comestíveis para frutas à base de zeína (proteína do milho) que mantém a fruta protegida por mais de dez dias sem refrigeração. Goiabas também duraram mais quando cobertas com uma solução feita com a goma do cajueiro.

Este tipo de mistura é conhecido como plásticos comestíveis e ainda estão sofrendo alterações para poder ser empregado em qualquer tipo de alimento.
Numa pesquisa, ainda inicial, na Embrapa, conduzida pela pós-doutoranda Marcia Regina Aouada, obteve-se um filme resistente e nutritivo misturando-se polpa de goiaba vermelha com nanopartículas de quitosana, uma substância extraída da casca de crustáceos. O filme preserva a vitamina C da goiaba. Nos Estados Unidos, esse tipo de filme já é usado no lugar da folha de alga para enrolar sushis e adornar alimentos.

Por enquanto, não há perspectivas de que essa tecnologia chegue ao mercado por causa do alto custo de produção das coberturas em larga escala. O desperdício de alimentos, que no Brasil gira em torno de 30% a 40%, ainda é economicamente mais vantajoso que o investimento em durabilidade, mas pesquisas estão sendo feitas e um futuro com menos plástico e menos desperdício já pode ser vislumbrado.

A virtude das compras conscientes

Por daniela meira às 12h31 de 13/12/2010

Nesta correria às vésperas do Natal, shoppings centers entulhados de gente, um vai-e-vem quase sem sentido onde pessoas que se cruzam, não se conhecem, mas todos fazendo a mesma coisa: compras! Comprar com embrulho! Presentes com caixas e embalagens que no dia 26 estarão no lixo!

As virtudes de reutilizar são incomuns na maioria das pessoas.

Existe uma escocesa, de 85 anos, Jean Eddie, que quando tinha três anos de idade, acompanhou sua mãe na compra de uma árvore de Natal artificial. Esta árvore não era grande, nem sofisticada, e custou cerca de um dólar. Esta mesma árvore existe até hoje e é ela ainda que enfeita a casa de Jean nesta época do ano, a mesma, desde 1928.

Para a viúva escocesa, hoje com 85 anos, não foi difícil resistir ao apelo de comprar uma nova árvore a cada ano. Em sua opinião, as pessoas não valorizam tanto quanto deviam as coisas que possuem.

“Todo mundo compra coisas que depois joga fora, o que eu não faria. Não sei por que os jovens compram tanta roupa, e logo jogam tudo fora e compram tudo de novo. Não há qualquer razão para eu jogar fora minha árvore”, disse ela.

Com o passar das décadas, a pequena árvore de Jean se tornou algo muito mais significativo que uma mera decoração de Natal. “Ela vem sendo minha companheira constante desde que eu era menina. Meu marido morreu, e eu não tenho muitos amigos. Parece bobo, mas toda vez que a desembrulho, todo ano, eu desejo a ela um feliz aniversário”.

Há anos, se discute se usar uma árvore artificial é mais ecoamigável que cortar uma árvore de verdade. De acordo com análises de ciclo de vida, árvores reais têm menos impacto ambiental que as artificiais, desde que estas sejam usadas por pelo menos 20 anos. Assim, Jean não está apenas preservando uma linda tradição – ela está, também, protegendo o planeta.

Com este post eu queria que ficássemos atentos às compras nos supermercados. Por mais que sua ceia e festa de final de ano tenham 20 amigos compartilhando um momento tão especial, será que precisamos de toda aquela fartura de peru, chester, tender, farofa, pavê, panetone, rabanadas e outras delícias que aparecem nesta época? Pode ser que sim, mas tenha o cuidado de comprar o que realmente será consumido.

Feliz Natal e um Ano Novo Mais Consciente!

Você gosta de gastronomia? Que tal seguir o blog Informações à Mesa e o Dicas da Dani no site de Ana Maria Braga.

Uma história diferente

Por daniela meira às 12h30 de 30/11/2010

A primeira pessoa que pensou na do bem™ imaginou que seria um sonho inalcançável.

Tudo começou num daqueles dias de verão no Rio de Janeiro. Quando o fundador da do bem™ chegou cansado do trabalho e deu sua tradicional passadinha na sua casa predileta de sucos, a BB Lanches no Leblon. Enquanto tomava seu suco de laranja numa garrafinha de 500 ml, ele pensou:

- “Por que não podemos fazer um suco parecido com este, apenas com frutas frescas, sem água, sem açúcar, conservantes, corantes e colocar em caixinhas legais?”

Claro que a primeira resposta estava no Google. Depois de pesquisar bastante, ele resolveu largar seu emprego chato, enquadrou literalmente sua gravata e viajou pelo mundo. Dois meses conhecendo tecnologias e experimentando bebidas.

Depois de ver o que é feito de legal pelo mundo e encontrar a tecnologia certa, ele teve certeza de que podia fazer melhor, juntando exatamente o que tinha imaginado:

“Uma casa de sucos dentro de embalagens legais”.

Do bem Sucos.

Sucos Do Bem: chá mate com suco de limão, suco de laranja, limonada, suco de uva integral, suco misto de maça, morango, maçã e guaraná, suco misto de mamão, laranja, maça e banana. (Foto: Divulgação)

Só faltava achar os mais apaixonados produtores de fruta do Brasil. Mais um bocado de trabalho e pronto! Assim nasceu a do bem™. Uma empresa que tem como sonho tornar a vida das pessoas mais simples e melhor, a qualquer hora do dia.

Sucos saudáveis de pura fruta e mais nada. Sem cozinha suja ou liquidificadores barulhentos (o antigo aparelho do fundador, comprado num site da internet, também foi aposentado).

Uma empresa pequena, jovem e direta com as pessoas. Que busca misturar a natureza com o urbano, o global com o local, e a tecnologia com a produção artesanal.

Com idéias assim, o mundo dos negócios pode mudar o mundo em que vivemos e torná-lo cada vez melhor e sustentável. Imagine que até a quantidade de gases emitida na atmosfera foi calculada. Vale dar uma olhada no site deles, que é bem bolado e gostoso de folhear.

Ação e Reação

Por daniela meira às 12h27 de 19/11/2010

Algumas atitudes que tomamos podem mudar a vida ao nosso redor. Novas atitudes sempre podem ser tomadas, mas lembre-se que você não está sozinho no mundo. Além dos outros seres, existe o próprio planeta. Do jeito que você trata o planeta ele irá reagir!

Quando você vai ao supermercado, à feira ou ao mercadinho, você se preocupa em comprar a quantidade suficiente que irá usar? Ou sempre leva um pouquinho a mais?

No Brasil, é costume termos à mesa uma travessa de comida na hora do almoço de domingo, por exemplo. Não é comum termos pratos individuais, com a quantidade necessária para cada um. O costume de “repetir” o prato, muitas vezes considerada uma reação à boa comida, não é nada sustentável. Essa prática faz com que a pessoa que vai preparar o almoço de domingo pense em comprar…. o dobro da comida necessária, pois “se eles quiserem, podem repetir! É melhor sobrar do que faltar!!!”

No mundo, sempre, tudo tende ao equilíbrio. Quando alguma coisa está em desequilíbrio, a vida traz situações que vão levar ao equilíbrio.

Então pense… se “é melhor sobrar do que faltar”, o sobrar é um desequilíbrio e para compensá-lo, a vida vai retirá-lo para haver o equilíbrio.

Você se interessa por gastronomia e novidades no mundo das panelas e temperos? Siga o blog Informações à Mesa e descubra o que anda rolando por ai!

  • Categorias