O livro foi organizado por Yvette Veyret e contém artigos de vários especialistas da área.

No livro, a autora mostra como o homem é responsável pelos próprios riscos que corre e como uma gestão pode ser decisiva para a mudança do quadro atual. Considerando tanto riscos ambientais como também econômicos e sociais, tanto operações pré-catástrofe como o período de reconstrução são importantes para a sociedade.

Assim, mostrando também como a gestão de riscos é feita de maneira diferente em países em desenvolvimento ou desenvolvidos, a economia de cada lugar também altera a maneira com que os problemas encontrados devem ser enfrentados.

Como as tragédias na região serrana do Rio de Janeiro mostram, as pessoas (e a vida delas) está intimamente ligada à geografia em que estão, às características do clima, e à gestão de risco feita pela população e pelos governantes. É o exemplo da pequena cidade de Arial, que com um carro de som, avisando sobre a eminente enchente, avisou os moradores, evitando qualquer morte. Apesar de não terem evitado estragos físicos, as pessoas saíram ilesas com uma atitude simples.

Você pode encontrar o livro aqui.