Manual de Auditoria Ambiental

Por Gisele Eberspacher às 15h58 de 19/03/2012

O livro é um lançamento da Qualitymark Editora e está na sua terceira edição.

O objetivo do livro é mostrar para os leitores o conceito de Auditoria Ambiental e sua evolução. O material tem a coordenação de Emilio Lèbre La Rovere, vencedor do prêmio Nobel da Paz, em 2007, junto de Al Gore. A obra também fornece os instrumentos básicos para que o leitor comece a realizar auditorias desse tipo em qualquer ramo.

As técnicas da auditoria ambiental tentam avaliar valores e limites das perturbações que, uma vez excedidas, resultam em recuperação demorada do ecossistema. Para isso, é necessário retomar recursos e assegurar uma produtividade prolongada e de longo prazo. Essas ações podem ser tomadas para empresas para controlar suas práticas com o objetivo de evitar a degradação ambiental.

Dados técnicos:

Formato: 21x28cm
Número de páginas: 152
Preço de capa: R$49,90
ISBN: 978-857303-993-1

Veja mais aqui.

Ensinando sustentabilidade para crianças na escola

Por pontocom às 17h59 de 19/09/2011

Os livros pedagógicos são uma ótima ferramenta para complementar o que é ensinado pelos professores na escola, ampliando e ilustrando o que foi aprendido. Tendo a educação ambiental como foco da coleção, a Editora Base lançou a Base Ecológica Pedagógica, direcionada ao ensino fundamental.

Base Ecológica Pedagógica foi desenvolvida para o Ensino Fundamental.

Produzida em papel reciclado, a obra conta com atividades práticas baseadas em conceitos de sustentabilidade nas áreas de língua portuguesa, língua inglesa, matemática, geografia, ciências naturais, artes visuais, educação física, ensino religioso, culinária e teatro. Conta também com doze cartazes e um cd de atividades.

Cada volume apresenta atividades práticas que oportunizam o trabalho com os conceitos próprios das áreas, relacionadas com a educação ambiental. Para melhor organização e facilitar o planejamento do professor, cada atividade proposta vem com a descrição dos objetivos, metodologia, materiais, registro processual, além de ícones coloridos que facilitam a busca nas atividades.

Confira a abordagem em cada área:

Língua Portuguesa

Apresenta o processo de competência linguística, com diferentes gêneros textuais para análise e reflexão da língua em uso, a fim de promover a capacidade de expressão oral e escrita.

Língua Inglesa

Busca aprofundar as semelhanças e diferenças entre as culturas, mantendo o enfoque ambiental, pois esses valores são difundidos em qualquer parte do Planeta.

Matemática

Envolve os números, a geometria, os espaços e as medidas nas propostas de atividades relacionadas à educação ambiental. O aluno será convidado a buscar soluções, ora individualmente, ora em grupo.

Geografia

Visa à ampliação das capacidades do aluno de observação, comparação e representação das características do espaço de seu entorno, bem como de diferentes espaços e paisagens.

Ciências Naturais

O enfoque parece mais oportuno, a educação ambiental é tratada de forma a conduzir o aluno a mudar sua postura em relação a atitudes que não combinam com a de um cidadão responsável e consciente.

Artes Visuais

Trata cores, texturas e volumes como estratégias para a criação, visando à preservação do meio ambiente.

Educação Física

O propósito é a confecção de jogos, desenvolvimento da consciência corporal, da autonomia e o respeito às regras, além de trabalhar o raciocínio lógico e promover o desenvolvimento social.

Ensino Religioso

A abordagem é ecumênica, levando um pouco de cada religião ao conhecimento do aluno, embora seu enfoque maior seja nas relações do aluno com sua família e com a sociedade em que está inserido.

Culinária

Mostra como cultivar e manipular os alimentos, tirando deles o maior proveito possível no que se refere às vitaminas e sais minerais e evitando o desperdício.

Teatro

São ofertadas atividades que possibilitam o desenvolvimento da criação, expressão corporal, o canto, a dança, o uso de fantoches, entre outros recursos da linguagem não verbal.

A coleção é das autoras Caroline Vezentin e Luciana Brustolin Biscaia. Caroline é graduada em Ciências Biológicas, especialista em Educação Ambiental, com nove anos de experiência na área educacional. Sócia fundadora do Instituto Rã-bugio para Conservação da Biodiversidade – Guaramirim/SC, é autora de diversas obras na área de Educação Ambiental. Luciana é formada em Letras pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná – PUC/PR, com especialização em Alfabetização e Educação Infantil (UTP). Professora no Ensino Fundamental na rede municipal de ensino de Curitiba, também é Docente em cursos de capacitação para professores das redes pública e particular de ensino, assim como autora de livros didáticos para Educação Infantil e Ensino Fundamental.

O Propósito do Século XXI

Por Gisele Eberspacher às 17h22 de 16/08/2011

James Martin, reconhecido como uma autoridade da computação, começa o livro O Propósito do Século XXI apresentando o século XXI como um século de extremos, em que podemos tanto voltar para uma era das trevas como avançar para uma sociedade mais igualitária.

O consumo desenfreado aliado à ausência de uma política capaz de gerir corretamente o emprego de recursos sustentáveis poderá frear o desenvolvimento de diversos países, principalmente os em ascensão, como o Brasil.

Segundo o autor, a humanidade chegou nessa situação por ainda não ter a completa compreensão das consequências que a degradação do meio ambiente teria para a vida no planeta.

O autor define então os grandes problemas do século XXI, falando que a solução para eles não pode ser achada ou praticada por um único país, mas sim em conjunto:

1. Aquecimento Global
2. Excessivo Crescimento Populacional
3. Escassez de Água
4. Destruição da Vida nos Oceanos
5. Fome Coletiva em Países Mal Organizados
6. Expansão dos Desertos
7. Pandemias
8. Pobreza Extrema
9. Crescimento de Favelas
10. Migrações Globais Incontroláveis
11. Agentes não Estatais com Armas Extremas
12. Violento Extremismo Religioso
13. Inteligência Virtual Descontrolada
14. Guerra que Pode Acabar com a Civilização
15. Riscos para a Existência do Homo Sapiens
16. Uma Nova Idade das Trevas

Assim, a solução seria uma mudança drástica na condução política, social e na administração dos recursos naturais e sustentáveis do planeta. Mas, para a sustentabilidade alcançar resultados, deve-se ter também uma alteração na maneira com que as políticas públicas são feitas. Outra solução apontada pelo autor é a conscientização de jovens, para que sejam capazes de faze a transição necessária da sociedade.

O livro foi publicado pela Editora Cultrix.

Árvores do Brasil – Cada poema no seu galho

Por pontocom às 16h42 de 20/06/2011

Aproveitando que 2011 é o ano internacional das florestas, a Editora Peirópolis está lançando o livro infantil Árvores do Brasil – cada poema no seu galho. Os textos são do poeta Lalau, que mostram algumas das árvores mais importantes do Brasil e os animais que se relacionam com elas.

As ilustrações ficam por conta de Laurabeatriz, com imagens de quinze espécies de árvores de cada bioma brasileiro: pau-brasil, araucária, jequitibá, ipê-do cerrado, buriti, jatobá-do-cerrado, juazeiro, mulungu, umbuzeiro, ipê-roxo, jenipapo, pau-formiga, castanheira-do-pará, piquiá e mogno.

O livro tem o selo verde, uma certificação concedida pelo FSC (Forest Stewardship Council – Conselho de Manejo Florestal) que indica a legalidade da madeira utilizada na produção do papel da publicação.

O livro está disponível no site da Editora Peirópolis.

Experiências Empresariais em Sustentabilidade (No Brasil)

Por pontocom às 17h14 de 22/03/2011

O livro de Fernando Almeida mostra como os consumidores estão exigindo mais responsabilidade e padrões mais altos de sustentabilidade das empresas com que se relacionam. Essa mudança no jeito de consumir faz até com que os acionistas e investidores mudem a maneira de investir.

A demanda por transparência e responsabilidade comercial e industrial criou várias saídas. Uma delas, por exemplo, é o índice de sustentabilidade da Bovespa. O livro mostra vários exemplos desse momento do consumo brasileiro.

Em seu terceiro livro, o autor mostra a realidade de 17 grupos empresariais e a jornada deles para a transparência. Narrando as vitórias e percalços das pessoas que já optaram pela sustentabilidade, o autor mostra como é possível adaptar os modelos econômicos vigentes por outros mais condizentes com as necessidades do planeta.

O livro é essencial para a discussão de como atingir a sustentabilidade corporativa e fazer a transição para a Economia Verde.

Cartuns Ambientais

Por pontocom às 13h45 de 23/02/2011

O blog GreenNation começa a publicar Cartuns Ambientais. O primeiro participante é Léo Valença, cartunista carioca e organizador do livro “Aquecimento Global em Cartuns”.

Confira.

Arquiteto Maurício Arruda na Casa e Jardim de fevereiro

Por pontocom às 13h42 de 16/02/2011

Maurício na revista Casa e Jardim, da Editora Globo.

O paranaense Maurício Arruda, de 37 anos, incrementa suas criações de design com um baixo impacto ambiental, defendendo uma proposta sustentável. O arquiteto cursou mestrado em sustentabilidade há 10 anos e é o primeiro brasileiro a desenhar peças para a rede Ikea, uma das principais lojas de departamento do mundo. Há dois anos, lançou a primeira linha de móveis ecológicos.

“Hoje o consumidor está bem informado e há demanda para o que é menos agressivo ao meio ambiente”, revela Maurício em entrevista na Casa e Jardim de fevereiro.

Atualmente, Maurício está fazendo o projeto de uma casa ecológica na serra da Bocaina.

Na matéria, Maurício Arruda ainda dá dicas sobre decoração, como usar cores, tendências e integração de ambientes. “Meu trabalho é caracterizado pela informalidade brasileira. Acho interessante expor as estruturas de concreto e usar na decoração o design industrial”.

Um dos modelos criados por Maurício. (Revista Casa e Jardim)

Entrevista com o cartunista Marcio Baraldi

Por pontocom às 15h54 de 31/01/2011

Marcio Baraldi se define cartunista desde que nasceu. Apesar da paixão pelo rock, outros temas são trabalhados em seu trabalho, como o movimento sindicalista, a sustentabilidade, o meio ambiente e até o espiritismo. Marcio também é ilustrador de vários livros didáticos e paradidáticos na área de educação para a sustentabilidade.

Confira a entrevista:

Atitude Sustentável: Como surgiu a idéia de trabalhar com temas como a sustentabilidade e o meio ambiente?
Marcio Baraldi: Eu nasci no ABC paulista , uma região que sempre teve uma tradição de movimentos sindical e populares fortes. Eu trabalho como chargista na imprensa sindical desde a adolescência, então sempre tratei de questões ecológicas e do meio-ambiente em meu trabalho. No ABC sempre tivemos uma luta pela despoluição da represa Billings, que é a responsável pelo fornecimento de água para toda a região, bem como o não desmatamento e invasões das áreas de mananciais da represa. Trabalho no Sindicato dos Químicos do ABC há mais de 20 anos e sempre lutamos pela instalação de tecnologia não-poluente nas fábricas, pois a região sempre foi um pólo industrial e em alguns trechos dela o ar era extremamente poluído, assim como na região de Cubatão, entre o ABC e Santos.
Por conta disso, durante essas duas décadas de trabalho na imprensa sindical eu produzi dezenas de cartilhas em quadrinhos sobre temas ecológicos e de preservação do meio ambiente.

AS: Para que público exatamente você volta o seu trabalho?
MB: Para todos! Comecei no movimento sindical, desenhando para os trabalhadores e por causa disso tinha o cuidado de ser bem claro, direto e politizado, sem muitas firulas ou pseudo-intelectualismos. Aí, ao mesmo tempo, comecei a trabalhar nas Prefeituras de Santo André, Diadema, Mauá e Ribeirão Pires (todas cidades regadas pela Billings e com áreas de manancial para proteger), onde produzia cartilhas didáticas para toda a população, que eram lidas por desde o filho pequeno até pelo avô. Me especializei em produzir material com assuntos politico-sociais, quadrinizados em linguagem bem popular, para qualquer cidadão, por mais humilde que seja, entender. Fiz o mesmo para muitas agências de publicidade também.

AS: Para você, qual a importância de se ensinar sustentabilidade, tanto para crianças como para a população em geral?
MB: A importância é óbvia, pois educação é a chave para tudo! Nós vivemos num país ainda com grande deficit educacional, muita criança fora da escola, ensino sucateado por governos incompetentes, professores mal-pagos e mal-preparados, enfim, há muito por se fazer pela educação brasileira. Mas ela é a chave para um futuro melhor, com gerações mais esclarecidas, politizadas e capazes de cuidar melhor do planeta do que cuidamos até agora. Precisamos colocar a matéria “Consciência Ecológica” em todas as escolas desde o primário. Todo mundo tem que entender a importância da reciclagem, coleta seletiva, usinas de tratamento de lixo orgânico e de despoluição de água. Todo mundo tem que aprender a não jogar lixo na rua, não desperdiçar água, não desmatar, não construir em áreas de mananciais e beiras de morros e rios. Precisam também ser mais politizados e combativos pra lutarem contra governos que não querem cumprir tratados e protocolos internacionais pela defesa do meio-ambiente, e preferem destruir o mundo pra ganhar dinheiro sujo. O capitalismo selvagem, sem dúvida, é um dos maiores inimigos de um Ecossistema vivo, saudável e equilibrado!

Livros sobre sustentabilidade e meio ambiente ilustrados por Marcio.

AS: Qual dos seus trabalhos você destaca na área de meio ambiente e sustentabilidade?
MB: Além de várias cartilhas, fiz e faço diariamente quilos de charges sobre o assunto para diversos jornais e revistas pelo Brasil afora. Muitas dessa charges são reproduzidas em livros didáticos, onde são utilizadas pelos professores para conscientizar a molecada.
Também ilustrei e ilustro muitos livros paradidáticos sobre Ecologia e assuntos afins. Além disso, como cidadão faço minha parte: não fumo, não uso drogas,não desperdiço água nem alimentos, reciclo todo meu lixo e sou um consumidor responsável. Acho que isto é o mínimo que todos devemos fazer em respeito a nós mesmos e a Terra, pois tem momentos que ela parece estar bem irritada com nossa presença aqui!

Para mais informações, visitem o site de Marcio Baraldi.

O livro foi organizado por Yvette Veyret e contém artigos de vários especialistas da área.

No livro, a autora mostra como o homem é responsável pelos próprios riscos que corre e como uma gestão pode ser decisiva para a mudança do quadro atual. Considerando tanto riscos ambientais como também econômicos e sociais, tanto operações pré-catástrofe como o período de reconstrução são importantes para a sociedade.

Assim, mostrando também como a gestão de riscos é feita de maneira diferente em países em desenvolvimento ou desenvolvidos, a economia de cada lugar também altera a maneira com que os problemas encontrados devem ser enfrentados.

Como as tragédias na região serrana do Rio de Janeiro mostram, as pessoas (e a vida delas) está intimamente ligada à geografia em que estão, às características do clima, e à gestão de risco feita pela população e pelos governantes. É o exemplo da pequena cidade de Arial, que com um carro de som, avisando sobre a eminente enchente, avisou os moradores, evitando qualquer morte. Apesar de não terem evitado estragos físicos, as pessoas saíram ilesas com uma atitude simples.

Você pode encontrar o livro aqui.

Livros importantes para a sustentabilidade

Por pontocom às 14h45 de 17/01/2011

O site Treehugger fez uma lista de livros importantes para a sustentabilidade no dia-a-dia das pessoas. Todos já estão disponíveis em formato digital, mas nenhum tem tradução para o português (mas estão disponíveis para venda em livrarias nacionais).

Confira a lista:

1. Livign Like Ed – A guide to Eco-friendly Life
(Vivendo como Ed – um guia para uma vida eco-friendly)
Autor: Ed Begley Jr.

O ator Ed Begley Jr e a sua mulher, Rachelle, tentaram viver de maneira simples e sustentável e ainda mostraram para as outras pessoas como fazer isso. No livro, ele compartilha a experiência que teve, mostrando o que funciona e o que economiza dinheiro, por exemplo. São dicas simples que podem ser úteis e acessíveis para casas normais.

O mais importante para o autor é mostrar que é possível manter uma boa qualidade de vida, mas sem esquecer de cuidar do planeta. O livro é indicado principalmente para as pessoas que querem começar a mudar os hábitos.

O livro pode ser comprado aqui (em inglês).

2. Ready, Set, Green
(Preparar, Apontar, Verde)
Autores: Meaghan O’Neil e Graham Hill

O livro foi escrito pelo editor do site TreeHugger, Meaghan O’Neill, e por Graham Hill, e apresenta como mudanças (pequenas e grandes) podem ajudar o meio ambiente. As dicas vão desde ter um copo próprio e não utilizar embalagens descartáveis até decisões maiores, como escolher móveis ou tintas.

O livro pode ser encontrado aqui (em inglês).

3. Generation Green
(Geração Verde)
Autores: Linda Silvertsen e Tosh Silvertsen

O livro é voltado para ensinar hábitos sustentáveis para crianças e adolescentes. Desde dicas de cosméticos e produtos de higiene sustentáveis até como ter uma carreira nessa área, ele também tem entrevistas com jovens ativistas que fazem diferença no planeta.

O livro pode ser comprado aqui (em inglês).

4. In the Green Kitchen: Techniques to Learn by Heart
(Cozinha Verde: Técnicas para se aprender com o coração)
Autor: Alice Waters

O livro de culinária mostra com receitas simples como ter uma comida mais verde e saudável para você e para o meio ambiente. São receitas simples e técnicas acessíveis, que incentivam o uso de ingredientes locais, frescos e da estação.

O livro pode ser comprado aqui (em inglês).

5. Harmony: A new way of looking at our world
(Harmonia: uma nova maneira de olhar para nosso mundo)
Autor: Príncipe Charles

Escrito pelo Príncipe Charles, o livro aponta como aspectos globais como mudanças climáticas e susentabilidade já fazem parte da vida de todos e das dinâmicas globais. Para o autor, os próximos desafios da nossa sociedade são frutos da falta de harmonia que tivemos com a natureza, e as soluções devem ser voltadas para recuperar esse equilíbrio novamente.

O livro pode ser comprado aqui (em inglês).

6. The Story of Stuff
(A História das Coisas)
Autor: Annie Leonard

Annie Leonard já é famosa pelos vídeos que faz com a história de vários objetos do cotidiano, mostrando principalmente o impacto ambiental de cada um deles. O livro apresenta então como o forte consumismo dos últimos anos trouxe efeitos para o planeta.

A autora parte da informação que 5% da população consome 30% dos recursos do planeta e cria 30% do lixo. A mensagem que tenta passar é simples: nós temos muitas coisas, muitas que são inclusive tóxicas. Por isso, precisamos filtrar melhor aquilo que precisamos e consumir com mais responsabilidade.

O livro pode ser comprado aqui (em inglês). Mais informações sobre o projeto, visite o site oficial.

7. 365 Ways to Live Green for Kids
(365 Maneiras para Viver Verde com Crianças)
Autor: Sheri Amsel

O livro mostra como ensinar a sustentabilidade para as crianças pode fazer com que elas tenham hábitos sustentáveis com mais facilidade para o resto da vida. Mostrando maneiras de reciclar produtos, os benefícios da comida orgânica ou projetos para a criança aprender fazendo, a sustentabilidade pode ser ensinada em casa.

O livro pode ser comprado aqui (em inglês).

  • Categorias