O Propósito do Século XXI

Por Gisele Eberspacher às 17h22 de 16/08/2011

James Martin, reconhecido como uma autoridade da computação, começa o livro O Propósito do Século XXI apresentando o século XXI como um século de extremos, em que podemos tanto voltar para uma era das trevas como avançar para uma sociedade mais igualitária.

O consumo desenfreado aliado à ausência de uma política capaz de gerir corretamente o emprego de recursos sustentáveis poderá frear o desenvolvimento de diversos países, principalmente os em ascensão, como o Brasil.

Segundo o autor, a humanidade chegou nessa situação por ainda não ter a completa compreensão das consequências que a degradação do meio ambiente teria para a vida no planeta.

O autor define então os grandes problemas do século XXI, falando que a solução para eles não pode ser achada ou praticada por um único país, mas sim em conjunto:

1. Aquecimento Global
2. Excessivo Crescimento Populacional
3. Escassez de Água
4. Destruição da Vida nos Oceanos
5. Fome Coletiva em Países Mal Organizados
6. Expansão dos Desertos
7. Pandemias
8. Pobreza Extrema
9. Crescimento de Favelas
10. Migrações Globais Incontroláveis
11. Agentes não Estatais com Armas Extremas
12. Violento Extremismo Religioso
13. Inteligência Virtual Descontrolada
14. Guerra que Pode Acabar com a Civilização
15. Riscos para a Existência do Homo Sapiens
16. Uma Nova Idade das Trevas

Assim, a solução seria uma mudança drástica na condução política, social e na administração dos recursos naturais e sustentáveis do planeta. Mas, para a sustentabilidade alcançar resultados, deve-se ter também uma alteração na maneira com que as políticas públicas são feitas. Outra solução apontada pelo autor é a conscientização de jovens, para que sejam capazes de faze a transição necessária da sociedade.

O livro foi publicado pela Editora Cultrix.

Saneamento, Saúde e Ambiente

O livro mostra uma visão ampla sobre a relação meio ambiente e meio urbano e as consequencias para a sociedade. (Foto: Divulgação)

O livro Saneamento, Saúde e Ambiente – Fundamentos para um desenvolvimento sustentável conta com o trabalho de 22 professores, pesquisadores e profissionais de sustentabilidade em diversas áreas de atuação, organizados por Arlindo Philippi Jr., da Faculdade de Saúde Pública da USP. O material aborda o resultado de estudos, pesquisas e experiências, com enfoque em temas que abordam a modificação ambiental produzida pelos modelos de desenvolvimento da sociedade humana e seus efeitos.

Dividido em quatro partes para melhorar a compreensão dos leitores, o livro aprensenta um didatismo na abordagem dos temas, abordando os aspectos históricamente e interpretando os dados de pesquisas. A primeira parte, titulada Saneamento, Saúde e Ambiente, aborda o impacto das modificações ambientais feitas pela sociedade nos ecossistemas naturais e na saúde pública. A maneira com que os governos lidam com essas questões também esta imediatamentes relacionada ao assunto, já que as decisões partem desse setor. Por fim, é mostrado as consequências da exposição humana à poluentes e resíduos, aumentando indíces de mortalidade.

Já a segunda parte, Sistemas de Saneamento Básico, relaciona a gestão e gerenciamento dos sistemas de saneamento com a sociedade. Para isso, questões culturais e sociais, como o hábito de consumo de água ou ocupações irregulares de terrenos, podem contribuir diretamente para a decisão de políticas públicas sobre o assunto. Outro ponto abordado é o avanço no gerenciamento de resíduos da área de saúde.

Controle da Qualidade Ambiental, a terceira parte do material, aborda a utilização e a gestão dos recursos naturais, como a água, o ar e o solo, em seus aspectos institucionais, legais, técnicos e econômicos. A gestão pública volta a ser importante para obter melhoras sustentáveis, inclusive em ambientes menores, como empresas ou casas. A quarta e última parte do livro, Instrumentos de Gestão, aborda a importância da educação ambiental para a mudança de hábitos da sociedade. Essa educação deve ser feita em todos os níveis da sociedade para alcançar resultados. Além disso, a pesquisa faz parte desse processo, em que descobrir, invetar e refletir sobre a sustentabilidade pode modificar as próximas relações estabelecidas com o meio ambiente.

Com uma participação de autores de diversas áreas, o livro propõe um ponto de vista amplo e abrangente sobre os temas, interagindo todas as áreas para alcançar resultados mais profundos.

O livro foi publicado pela Editora Manole e faz parte da Coleção Ambiental, qua aborda a relação da sustentabilidade com diversos temas, desde educação até gestão de recursos.

Rios e Cidades – Ruptura e Reconciliação

Por pontocom às 16h33 de 20/08/2010

O livro foi lançado na última edição da Bienal de São Paulo. (Foto: Divulgação)

O livro foi lançado na última edição da Bienal de São Paulo. (Foto: Divulgação)

O livro escrito por Maria Cecília Barbieri Gorski e lançado na Bienal do Livro, em São Paulo, fala principalmente sobre a relação entre os rios e as cidades.

Os rios já foram fatores determinantes na localização das cidades e são elementos geográficos de grande importância na formação de centros urbanos. A partir da segunda metade do século XX, já entraram em processo de degradação, ocasionado principalmente pelo mal uso e pela poluição das cidades.

Várias políticas e iniciativas são criadas hoje e colocam a qualidade dos rios em discussão, proteção e valorização. Isso permite com que a relação possa existir sem a degradação do meio ambiente.

O livro então discute, partindo de planos para recuperação de trechos urbanos de rios, tanto no Brasil como em outros países, quais são os princípios que delimitam essa nova abordagem. A comparação realizada entre os casos também permite extrair de todos referências relevantes para a realização de novos projetos nessa área.

  • Categorias