Novos assentos no renovado Teatro Paiol - reabertura em setembro de 2010

Sustentabilidade também é rever e qualificar a história…

Sempre admiro quando assisto uma palestra do arquiteto e designer Sérgio Rodrigues, hoje com 83 anos, divertido e lúcido, muito bem acompanhado pela linda esposa, Vera Beatriz.  A sinceridade dele, contando estórias e história de Curitiba, fatos engraçados, pitorescos…Tivemos esta sorte de receber a sua influência nos anos 50, que quando bem jovem vem trabalhar para Bento Munhoz da Rocha, juntamente com Olavo Campos, idealizador do conjunto do Centro Civico de Curitiba.

Hora da Prosa, reabertura do Teatro Paiol, em 22 de setembro: e ele relata o projeto que realizou para o Palácio de Justiça, certamente diferente do atual… não imagina onde ficaram os diversos compartimentos para receberiam 6 elevadores… o prédio foi cortado pela metade, por questões de mudanças de governo e de verbas…

Outra estória bacana é aquela que conta, de que abriu uma loja própria, na praça Carlos Gomes, bonita e moderna, achando que estaria oferecendo novidades à cidade…e que levou mais de 6 meses para vender o primeiro sofá, e ainda com erro de contas, acaba por vendê-lo 50% abaixo do preço… depois de certo tempo, decidiu fechar a mesma, visto que o ‘povo curitibano’ não teve tanto interesse pelos móveis… (o que foi certamente trágico pra ele…). Com humor, diz que o local virou um ‘inferninho’…

Hora da Prosa, Sérgio Rodrigues em conversa com Geórgia Hauner, que vem especialmente do Canadá para as exposições da Bienal de Design e 'Modernos Brasileiros +1', no MON. Até 31 de outubro

Mais uma: conta que foi chamado por Darci Ribeiro, para realizar o mobiliário do Auditório Dois Candangos, em Brasília, para o qual tinha apenas 01 mês. Diz que Darci foi levá-lo a conhecer o local, onde nada havia ainda -a construção começaria naquela mesma semana – assim era o ritmo de Brasília. E sai a projetar ‘os detalhes do objeto’ e a buscar fornecedores que topassem aquele desafio, de produzir 200 poltronas neste prazo exíguo. Consegue atingir o objetivo dentro do prazo, leva os produtos de caminhão, e quando chega para a montagem, percebe que jamais conseguiria realizar aquilo sozinho. Era feriado (de primeiro de abril), sai pelas ruas a chamar os estudantes da universidade de Brasilia, a ‘cumprirem um dever cívico’… e com um grupo de estudantes, monta o auditório em 3 ou 4 dias, ‘no muque’. A inauguração aconteceu no dia 02 de abril de 1962.

Além de sua carreira solo, com produtos autorais, trabalhou com Ernesto  e Georgia Hauner com quem tem amizade até os dias de hoje. Primeiramente na Artesanal, (posteriormente chamada de Forma-Probjeto). Ernesto, insatisfeito em produzir aquilo que não era sua criação, abre uma fábrica própria, a Mobilínea, indústria criada em Curitiba, nos anos 60. Criaram juntos a Home Store, a 1a. loja show room de multimarcas.

É emocionante ouvir e compartilhar suas experiências.

Agradecimento especial à Mariúze, que insistiu em me fazer sair do trabalho incessante, para ‘curtir’ este encontro.!