Por Camila Barp*

Livros são meus companheiros fiéis de viagem. Escolher o livro certo para levar faz parte do ritual de fazer as malas. E escolhê-los passa por critérios distintos – tudo depende do destino de viagem.

Além de bons e fiéis parceiros de viagens, os livros instigam e dão vontade de viajar. Ler histórias de outros viajantes e suas aventuras mundo afora inspiram a sair da rotina, querer ver novas paisagens, lugares, conhecer pessoas e culturas diferentes. Experimentar o ”novo”.

Alguns clássicos altamente recomedáveis:

On the Road – Jack Kerouac

Principal livro do autor norte-americano Jack Kerouac. A obra foi referência para uma parcela da juventude estadunidense que estava descontente com suas vidas e resolveram então botar o pé na estrada. O livro narra a história de dois jovens que atravessam os Estados Unidos escancarando o outro lado do sonho americano.

A insustentável leveza do ser – Milan Kundera
Romance com inesgotáveis temas existenciais que constituem uma viagem ao interior das personagens instigando o leitor a refletir em busca do autoconhecimento. Como pano de fundo, a invasão russa à Tchecoslováquia.

Into the Wild – Jon Krakauer

A dramática história de um insubmisso jovem americano revela o lado B de uma aventura mal-planejada.

O grande bazar ferroviárioPaul Theroux

O olhar profundo e ferino de Paul Theroux em sua longa jornada ferroviária desde a Inglaterra até o Japão, por meio dos clássicos expresso do Oriente e Transiberiano.

A Arte de Viajar – Alain de Botton

Botton explica que mais importante que saber o que ver numa viagem é saber por que ver. Num texto saboroso, ele nos conta como as viagens, a literatura e as artes plásticas se influenciam entre si – um simples passeio pode levar à redação de um clássico, que por sua vez pode inspirar a pintura de uma obra-prima, estimulando milhares de pessoas a fazer o mesmo passeio. Neste ciclo infinito, muitas vidas encontram seu sentido.

Diários de Motocicleta – Che Guevara

Relato da viagem feita por Che e o seu amigo Alberto Granado, desde Argentina até a Venezuela, em 1952.

* Camila Barp, que adora receber dicas de livros dos leitores do blog!